Suinocultura:

Dados do Infoagro – Sistema Famasul 2017 mostram que as vendas internacionais da suinocultura apresentaram elevação expressiva na última década. Conforme o levantamento, as negociações de carne suína tiveram incremento de 82%, passando de US$ 12 milhões para, aproximadamente, US$ 22 milhões. O volume embarcado saltou, neste mesmo período, 43%.
“Os números mostram o resultado do esforço dos produtores desse setor na tecnificação. Isso também é evidenciado no fato do principal produto ser a carne in natura, representando mais de 80% do total exportado, conforme o levantamento do Infoagro”, salienta o presidente do Sistema Famasul, Mauricio Saito.
O Infoagro é um anuário elaborado pela Federação da Agricultura e Pecuária de MS, que com a finalidade de apresentar aos produtores rurais, profissionais do setor, pesquisadores, lideranças, jornalistas e entidades representativas, o desenvolvimento do Agro a cada ano. A pesquisa acaba de ser lançada e traz um importante levantamento econômico de produção sobre as principais cadeias produtivas do Estado.
Em Mato Grosso do Sul, a avicultura e a suinocultura estão em expansão, dentre outros fatores, devido ao fomento do setor industrial, que encontrou no clima favorável, na distribuição geográfica e no cultivo de grãos a viabilidade para esses mercados.
Estes fatores influenciam na alimentação de aves e suínos, barateando os custos de produção e favorecendo o aumento da capacidade de atender a demanda internacional.
Dos principais destinos da carne suína sul-mato-grossense, o maior volume é comercializado com Hong Kong, com mais de 5 mil toneladas. Conforme o Boletim Pecuário do Sistema Famasul, de janeiro a maio, Hong Kong comprou 61,47%; Haiti, 14,84%; e Angola, 13,56% do total comercializado, representado os principais importadores dessa proteína animal.