Seca:

Os canaviais do Centro-Sul brasileiro vêm sofrendo com a seca dos meses de abril e maio. Isso reforça o quadro negativo iniciado em dezembro por causa das chuvas irregulares e que afetaram especialmente os canaviais situados nos piores ambientes de produção.
Desde janeiro, o Sistema Tempocampo da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (Esalq/USP) já projetava uma safra desfavorável para a maior parte do centro-sul, por conta das condições meteorológicas.
No cenário mais otimista de janeiro, o Tempocampo projetava que o Coeficiente de Produtividade Climática (CPC) seria igual a unidade, ou seja, que a produtividade deste ano apenas empataria com as produtividades do ano passado.
Desde então, com a piora do quadro climático, nas simulações de maio, o Sistema projetou perdas entre 8-10% para os canaviais situados no centro-norte do Estado de São Paulo, e média geral de perda de 5% em relação ao ano passado.