Quatro usinas unificam comunicação com o ONS para ampliar eficiência e reduzem custos em até 40%

Solução aplicada utiliza tecnologia inovadora com rede de conexões híbrida e redundante que provê 99,98% de disponibilidade.

 

 

A Votorantim Energia, uma das maiores empresas do setor elétrico do Brasil, otimizou a rede de comunicações das usinas hidrelétricas de Sobragi (Belmiro Braga-MG), Itupararanga (Votorantim-SP), Pedra do Cavalo (Cachoeira -BA) e Ourinhos (Ourinhos-SP).

Por meio de um projeto estratégico desenvolvido em parceria com a integradora de telecomunicações e serviços em nuvem Sencinet, a companhia passou a utilizar apenas um link para processar toda a troca de informações das unidades com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). Anteriormente o mesmo processo era executado com a utilização de um link para cada planta.

 

 


O modelo de concessão definido pelo ONS para as usinas hidrelétricas considera a comunicação com os membros participantes e associados como um dos pontos mais sensíveis da operação.

 

 

Por isso, a regulamentação exige que as usinas se conectem a Centros Regionais por meio de dois sites distintos denominados SAL – Sistema Local de Aquisição de Dados e SAR – Sistema Remoto de Aquisição de Dados.

 

 

Eles devem prover 99,98% de disponibilidade e ainda estarem em caminhos (enlaces) não colapsados, ou seja, caminhos distintos. Esta preocupação se justifica pois é através da transmissão de dados que o órgão se baseia para controlar, por exemplo, a abertura e o fechamento de comportas e barragens das hidrelétricas inclusive em casos de urgência.

 

 


De acordo com o Diretor de Estratégia e Portfólio da Sencinet, Marcelo Leite, a estrutura da companhia ofereceu à Votorantim Energia a possibilidade de utilizar uma rede híbrida e redundante capaz de atender a todos estes requisitos.

 

 

“A Sencinet realizou importantes investimentos em sua estrutura para tornar sua rede mais robusta e flexível de maneira que seja possível apresentar soluções de alta disponibilidade, seguras e redundantes em conformidade com as normas exigidas”, disse.

 

 


Além da redução de 40% nos custos devido à redução de links, o Gerente Geral Comercial da Votorantim Energia, Leonardo Vinicius Gomes, ressalta ainda o ganho trazido para a corporação no que diz respeito ao esforço de gestão e controle das conexões com a disponibilidade de relatórios de disponibilidade, tráfego e comportamento da rede.

 

 

“Acreditamos que o projeto trouxe ganhos inclusive para o próprio ONS devido à uma diminuição na quantidade de links e roteadores na infraestrutura para recebimento das conexões com a Votorantim. Assim, elevamos a operação aos mais modernos conceitos de segurança e economia de recursos”, finaliza.

 

 

Foto divulgação: Minas Hoje