Privatização da Eletrobras deve impulsionar profissionais na área de engenharia elétrica

Profissionais capacitados para lidar com inovação e gestão no setor devem ser requisitados

 

 

 

 

A privatização da Eletrobras, estatal de energia elétrica, é prevista para ocorrer entre o fim deste ano e o início de 2022, de acordo com o presidente do BNDES, Gustavo Montezano. Caso o processo de fato avance e aconteça, o setor deve abrir grandes oportunidades profissionais.

 

 

O assunto ganha importância e vem acompanhado não apenas pelo fator financeiro ligado ao processo de desestatização, mas também por questões ligadas à necessidade de modernização e inovação tecnológica, bem como a inserção de novas fontes energéticas no país, sem deixar de citar o aumento de sua eficiência. A ideia é que a privatização realmente sirva como uma grande oportunidade de transformação de como gerimos a energia no Brasil, passando a responsabilidade para as mãos da iniciativa privada.

 

 

Esse potencial de transformação no setor certamente exigirá profissionais capacitados para dele atuar e fazer parte, o que deve abrir um campo precioso na área da engenharia elétrica. Para isso, serão exigidos o conhecimento e o domínio das novas tecnologias e de novos sistemas, juntamente com os aspectos econômico e de gestão de processos, o que permite a excelência na execução das atividades incumbidas a esse tipo de profissional.

 

 

Com o intuito de oferecer especialização nesse segmento, o Programa de Educação Continuada da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Pece-Poli / USP) está com inscrições abertas para o MBA em Redes de Distribuição de Energia Elétrica. Com aulas não presenciais e realizadas ao vivo, o curso busca preparar, atualizar e qualificar os profissionais para o desenvolvimento e gerenciamento de atividades de planejamento, operação, manutenção e projetos em redes de distribuição de energia elétrica.

 

 

O curso abrange a capacitação em tópicos que abrangem desde questões de modelagem e simulação de sistemas elétricos, para pavimentar os alicerces dos conhecimentos envolvidos e uniformizar o diálogo, para então abordar aspectos de avaliação de investimentos e de custos de projetos no setor, avançando até questões técnicas mais sofisticadas de análise de impactos de geração distribuída, de veículos elétricos, de sistemas de armazenamento de energia, e as consequentes transformações que vêm impulsionando o desenvolvimento das cidades por meio da implementação das redes elétricas inteligentes.

 

 

Por ter vagas limitadas, interessados em fazer parte do MBA passarão por processo seletivo. As inscrições podem ser feitas até o dia 9 de julho neste link , onde poderá ter acesso a todas as informações.

 

 

Foto divulgação Suno Research