H145 da Airbus Helicopters é o primeiro helicóptero de resgate a voar com combustível sustentável

 

 

 

 

Um helicóptero de resgate voou pela primeira vez com combustível de aviação sustentável (sustainable aviation fuel – SAF), atingindo um novo marco na história da aviação internacional. Operado pela ADAC Luftrettung, organização alemã sem fins lucrativos, o H145 teve uma cerimônia de reabastecimento de seus motores Arriel 2E com biocombustível, um tipo de SAF, na estação de resgate aéreo da Harlaching Clinic, em Munique, que contou com a presença do corpo diretivo da ADAC Foundation, bem como dos diretores administrativos e alta gerência da ADAC Luftrettung, da fabricante de motores Safran Helicopter Engines, da Airbus Helicopters e da companhia de energia TotalEnergies. Juntas, as empresas serão impulsionadoras da descarbonização em voos de helicópteros, desenvolvendo alternativas para os combustíveis convencionais.

 

 

O H145 utilizou biocombustível de segunda geração – o tipo de SAF escolhido pela indústria de aviação – que reduz as emissões de CO2 em até 90% comparado ao seu equivalente fóssil, graças a sua produção baseada em resíduos da economia circular, como gordura e óleo de cozinha usado. Como resultado, o combustível não impacta na produção agrícola de alimentos.

 

 

O combustível utilizado para o primeiro voo do helicóptero de resgate em Munique foi fabricado pela TotalEnergies em suas instalações na França e produzido com óleo de cozinha usado, sem a adição de qualquer outro óleo de planta. Com esse SAF, a frota da ADAC Luftrettung poderá alcançar uma redução de 33% nas emissões de CO2, que equivale a uma redução média de 6 mil toneladas do gás, considerando os mais de 3.3 milhões de quilômetros percorridos por ano com suas mais de 50 mil missões de resgate.

 

 

A organização alemã e a fabricante de motors Safran Helicopter Engines compartilham o mesmo objetivo de contribuir para o desenvolvimento do combustível de aviação sustentável. Para isso, estão lançando um projeto com um helicóptero de resgate da ADAC em Colônia, na Alemanha, que vai estudar todos os aspectos do uso de biocombustível no H145, que contará com uma campanha operacional no verão europeu deste ano.

 

 

Após a cerimônia, os diretores da ADAC Luftrettung e da Safran Helicopter Engines, Frédéric Bruder e Franck Saudo assinaram um acordo de longo prazo para o SAF, que prevê aumentar a proporção de mistura de biocombustível para até 100% nos próximos anos e, posteriormente, também promover o uso de e-combustível sintético, também conhecido como Power-to-Liquid (PTL), uma alternativa drop-in aos combustíveis fósseis. PTL refere-se à geração de combustíveis líquidos produzidos a partir de energia elétrica de fontes renováveis, que, juntamente ao uso de biocombustíveis, permitirá que a indústria de aviação se aproxime da neutralidade do clima.

 

 

O biocombustível está atualmente certificado e aprovado para uso na aviação em uma mistura máxima de 50 por cento com querosene convencional do tipo JET-A1. O helicóptero de resgate ADAC voou com uma combinação de 40%.

 

 

A Dra. Andrea David, CEO da ADAC Foundation, à qual a ADAC Luftrettung pertence, diz que “para nós, o projeto piloto de combustível de aviação sustentável é o primeiro grande passo no caminho para uma ADAC Foundation e serviço de resgate aéreo neutro para o clima, e a nossa contribuição, como uma organização sem fins lucrativos, para alcançar os objetivos de proteção climática da Alemanha e da Europa.”

 

 

“Queremos ser pioneiros na redução de CO2 em serviços médicos de emergência com querosene ecologicamente correto. Isso significa que também devemos desenvolver tecnologicamente o resgate aéreo para que o uso de SAF seja perene. Para isso, temos forte parceiros ao nosso lado”, acrescenta Frédéric Bruder, Diretor Administrativo da ADAC Luftrettung. “É importante ressaltar que o SAF é um combustível oficialmente aprovado, o que significa que a segurança do voo e do paciente permanece nos mais altos padrões.”

 

 

Franck Saudo, CEO da Safran Helicopter Engines, explica: “A Safran está liderando os esforços da indústria de motores para reduzir as emissões de dióxido de carbono dos helicópteros. Junto a este primeiro voo histórico, assinamos um acordo com a ADAC Luftrettung para expandir o uso de SAF em sua frota de helicópteros com os nossos motores. Todos os motores Safran são certificados para operar com até 50% de combustível sustentável, incluindo biocombustível, e a nossa meta é atingir 100%.”

 

 

Bruno Even, CEO da Airbus Helicopters, afirmou que “ser pioneiro no setor aeroespacial sustentável é um objetivo claro da Airbus e permitir o uso de combustível de aviação sustentável é um marco importante para nossa indústria. O evento de hoje é o primeiro passo para reforçar a ambição da Airbus Helicopters de ter a linha de produtos com a menor emissão de CO2 do mundo.”

Christian Cabrol, Diretor da TOTAL Deutschland GmbH, finalizou dizendo que “a TotalEnergies estabeleceu para si mesma a meta de obter zero emissões líquidas junto à sociedade até 2050. Ao desenvolver biocombustíveis, estamos ajudando nossos clientes da indústria de aviação a reduzir a intensidade de carbono dos produtos energéticos que usam. Nosso combustível de aviação sustentável pode ser usado sem qualquer modificação na infraestrutura logística de armazenamento e distribuição e, portanto, também diretamente em aeronaves e helicópteros. Estamos experimentando isso na prática hoje. Em março passado, iniciamos com sucesso a produção de combustíveis sustentáveis para aviação na França, que já foram utilizados para um voo de longo curso entre Paris e Montreal há duas semanas, e em breve os disponibilizaremos para nossos clientes alemães.”