Infraestrutura e agronegócios:

O presidente da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, Rubens Hannun, e o presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, anunciaram na semana passada, na sede da entidade em São Paulo, que as duas instituições vão prospectar juntas investimentos de fundos soberanos árabes para empresas brasileiras, principalmente dos setores de infraestrutura e agronegócios.
 
Eles disseram ainda que há diálogos iniciais com alguns fundos soberanos da Arábia Saudita, dos Emirados Árabes, do Kuait e do Catar, todos já com investimentos nas áreas-alvo. Além disso, disseram que representantes da Câmara Árabe e do banco estatal devem se reunir nos próximos dias para encaminhar o trabalho.
 
De acordo com Hannun, o objetivo é estabelecer entre árabes e brasileiros parcerias de interesses mútuos. “Os árabes têm muitos recursos. A ideia é atraí-los para as empresas brasileiras. Esses recursos retornariam para os países árabes em produtos e serviços. A união dos recursos com a produção brasileira consistirá num ciclo virtuoso benéfico para todos”, explica.
 
O BNDES poderá fornecer suporte nos projetos de investimentos e apoio técnico e financeiro às empresas interessadas. “Queremos que os árabes também invistam junto conosco. O BNDES avalia que os fundos de investimentos árabes poderiam atuar nos projetos de infraestruturas (ferrovias, rodovias, portos e aeroportos) e de inovação no Brasil”, disse Rabello de Castro. A Câmara Árabe quer atuar como curadora dos investimentos, vai também supervisionar a governança dos aportes e o cumprimento dos procedimentos burocráticos.
 
Questionado sobre o volume potencial a ser captado, Hannun disse poder ser “infinito”. “O maior potencial está em alimentos. Mas pode abranger vários campos. Inovação, por exemplo. Já fomos procurados para mediar negócios nessa área. O processo de atração precisa ser feito de forma sustentável”.
 
###
 
Sobre a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira
A Câmara de Comércio Árabe-Brasileira representa 22 países árabes, foi fundada em 1952 e tem como missão aproximar comercialmente o Brasil dos países árabes, incrementando intercâmbios culturais e turísticos entre árabes e brasileiros. A entidade oferece diversos serviços de apoio ao comércio bilateral, como certificação de documentos, informações sobre mercados, traduções, eventos e workshops. Disponibiliza, também, o Espaço do Conhecimento Comercial, um centro de referência para pesquisas das relações entre o Brasil e os países árabes.