Balança comercial de SP registra déficit de US$ 4,7 milhões no 1º trimestre

 

 

 

 

O Boletim Econômico do Estado de São Paulo, produzido pelo Núcleo de Estudos da Conjuntura Econômica (NECON) da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP), analisou dados da balança comercial no estado. O estado registrou déficit de 4.756,4 milhões de US$, aumento de 7,46%, em relação ao mesmo trimestre do ano passado.

 

 

O NECON FECAP é um grupo formado por professores e alunos da Faculdade de Economia da Fundação Escola de Comércio Alvares Penteado – FECAP, além de interessados, e pretende analisar indicadores de conjuntura e cenários da economia atual. O objetivo missão é criar um ambiente permanente e rico de reflexão e análise acerca da conjuntura econômica nacional, além de produzir relatórios que auxiliem investidores, empresários, gestores públicos e pesquisadores na tomada de decisão.

 

 

O trabalho foi realizado por Gabriella Batalha e Thamires dos Santos.

 

 

Confira o Boletim completo clicando aqui: https://www.fecap.br/wp-content/uploads/2021/06/1TRI21.pdf

BALANÇA COMERCIAL

 

 

A balança comercial registra as importações e exportações de bens entre os países. No primeiro trimestre de 2021, o estado de São Paulo apresentou déficit de 4.756,4 milhões de US$, ou seja, as importações (US$ 15.710,8 milhões) superaram as exportações (US$ 10.954,5 milhões). Em comparação ao mesmo período do ano passado, o déficit aumentou em 7,46%.

 

 

Segundo dados do Instituto de Economia Agrícola (IEA), as exportações do setor de agronegócio do estado de São Paulo foram de US$10,66bi e as importações de US$15,71bi. O decréscimo de 14%, na balança comercial dos Agronegócios Paulista, é resultado das complicações que a pandemia da COVID-19 trouxe aos comércios e indústrias paulista.

 

 

 

 

No primeiro trimestre de 2021, os principais setores de exportação foram: Sucroalcooleiro (US$1,36bi, sendo que o Açúcar representou 86,1% e o Álcool 13,9%); Setor de Carnes (US$507,23bi, principalmente a bovina com 87,8%); Soja (US$438,08mi); Sucos (US$347,57mi, em especial o de laranja, com 97,2%); e Produtos Florestais (US$341,18mi). Os maiores compradores foram a China, União Europeia e Estados Unidos, locais com maior recuperação econômica.

 

 

Os principais produtos importados no setor de agronegócios foram: Papel (US$86,25mi), Trigo (US$79,07mi), além do Óleo de Dendê/Palma (US$65,97mi).

 

 

Portanto, além das dificuldades encontradas no mercado interno (conforme apresentado na análise da indústria, comércio e serviços), o resultado da balança comercial revela a continuidade do déficit registrado em 2020 (no acumulado do ano passado, o saldo foi de US$ -11.618,9 milhões), apesar do favorecimento da desvalorização do dólar, para as exportações, em especial do setor agrícola (conforme vimos na análise de inflação). A seguir, veremos, detalhadamente, os impactos nas estatísticas de emprego no estado de São Paulo.