Agricultura Familiar:

Representantes do Governo do Estado e do Movimento da Agricultura Familiar (MAF) se reuniram nesta terça-feira (29.8) para tratar sobre o processo da reforma agrária em Mato Grosso do Sul. Realizado na Assembleia Legislativa, o encontro foi proposto pelos integrantes do MAF e da Coalizão dos Movimentos Sociais do MS.
“Ficamos felizes por sermos recebidos por tantas autoridades a pedido do governador Reinaldo Azambuja.  Queremos que ele seja nosso parceiro assim como já é da agricultura familiar”, disse Nei Cardoso, representante da Coalizão. “Nosso pedido ao governador é para que ele vá até o presidente Michel Temer para pedir mais recursos para reforma agrária e intervir por nós”, emendou.
O governador Reinaldo Azambuja, que cumpre agenda oficial em São Paulo, foi representado na reunião pelo secretário de Administração e Desburocratização Carlos Alberto de Assis, e pelo adjunto da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Ricardo Senna. Segundo Carlos Alberto, o Governo do Estado tem claro o compromisso de avançar com a reforma agrária.
Para Senna, esse compromisso se estende para a agricultura familiar. “Hoje temos mais de R$ R$ 40 milhões de investimentos privados em MS, mais de 20 mil empregos que serão ocupados por pessoas que precisam comer. Somos o estado que mais recebe investimentos privados do Brasil. Então tenho certeza do compromisso com a operacionalização e o desenvolvimento da agricultura familiar no Estado”, disse.
O diretor-presidente da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), Enelvo Felini, reforçou o trabalho na área. “Em 2014 foram concedidos 57 títulos de reforma agrária.  No governo do Reinaldo já são 600 famílias tituladas pelo Estado. Até dezembro serão mais oito assentamentos recebendo título da agricultura familiar. Nós criamos escritórios da Agraer nos 79 municípios. Se hoje já passamos dos 600 títulos, até o fim dessa gestão, seguramente, passaremos de mil. A agricultura familiar representa geração de emprego e economia no campo”, afirmou.
Representante da Frente Parlamentar de Regularização Fundiária da Assembleia, o deputado estadual Renato Câmara destacou que a “a reforma agrária é um investimento”. “Temos 20 entidades integrando a frente. Hoje estive com promotor Luciano e estamos construindo uma cartilha para conscientizar sobre o direito da regularização fundiária. Vamos apoiar a reivindicação de vocês aqui hoje e lutar pelo direito de vocês”, prometeu.
 
Bruno Chaves e Diana Gaúna,  (Subcom)
Foto: Edemir Rodrigues