Com safra no fim, última quinzena não registra moagem de cana

O número de unidades produtoras operando no Centro-Sul em dezembro de 2021 foi de 12 empresas, dentre as quais 6 possuem produção de etanol exclusivamente a partir do milho.

A despeito da existência de unidades em operação com capacidade para o processamento de cana-de-açúcar, não foi registrada moagem da matéria-prima na segunda quinzena de dezembro. Como consequência, a quantidade de cana-de-açúcar processada na 2021/2022 permaneceu em 521,67 milhões de toneladas, com variação de -12,67% em relação ao mesmo período no ciclo anterior.

A produção de etanol anidro em dezembro foi de 174 milhões de litros (-4,29%), sendo 82,7 milhões fabricados a partir do processamento de milho e, uma outra parte, fruto do reprocessamento de etanol hidratado. No acumulado do ano safra, a fabricação de etanol anidro totalizou 10,8 bilhões de litros (+12,75%).

A produção de etanol hidratado, por sua vez, registrou 182,9 milhões de litros fabricados em dezembro (-3,76%). Destes, 232,3 milhões foram fabricados a partir do milho. No acumulado do ano safra 2021/2022, a produção de etanol hidratado alcançou 15,8 bilhões de litros (-20,06%).

De abril a dezembro de 2021, as unidades produtoras de etanol a partir de milho fabricaram 2,57 bilhões de litros de litros, o que representa um avanço de 38,12% em relação ao acumulado até dezembro da safra 2020/2021.

O diretor técnico da UNICA, Antonio de Padua Rodrigues, acrescenta que “ainda devemos registrar algum processamento de cana-de-açúcar até o final do mês de março, mas a quantidade a ser moída deve ser muito inferior àquela observada em anos anteriores”.

Vendas de etanol

No último mês de 2021, as unidades produtoras do Centro-Sul comercializaram um total de 2,15 bilhões de litros de etanol, registrando retração de 22,7% em relação ao mesmo período da safra 2020/2021. Do total comercializado no período, 155,38 milhões de litros foram destinados para o mercado externo e 1,99 bilhão de litros vendidos domesticamente.

No mercado interno, as vendas de etanol hidratado mantiveram a trajetória de retração e alcançaram 1,12 bilhão de litros, registrando queda de 36,31% sobre o montante apurado no mesmo período da última safra (1,75 bilhões de litros). A quantidade comercializada de etanol anidro em dezembro de 2021 registrou avanço de 2,32% em relação ao mesmo período no ano anterior, com 877,72 milhões de litros vendidos neste ano ante 857,85 milhões de litros em 2020.

O diretor da UNICA explica que “a despeito da retração na oferta de cana-de-açúcar, os atuais níveis de estoque de etanol oferecem conforto para o pleno abastecimento do mercado nos próximos meses de entressafra”, e acrescenta que “particularmente, as saídas de etanol hidratado dos produtores para o mês de dezembro ficaram aquém do esperado. A trajetória de mais intensa retração do consumo do biocombustível desde setembro reflete os sinais da desaceleração econômica”.

Desde o início da safra até a segunda quinzena de dezembro, o volume acumulado de etanol comercializado pelas empresas do Centro-Sul registrou retração de 9,32%, com cerca de 21,14 bilhões de litros vendidos. Desse total, 1,3 bilhão de litros foram destinados à exportação (queda de 41,31%) e 19,84 bilhões ao mercado interno (queda de 5,97%). Do total comercializado domesticamente, o etanol anidro representou 7,73 bilhões de litros (aumento de 17,15%) e o etanol hidratado correspondeu a 12,12 bilhões de litros (queda de 16,48%).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.