Veja números do agronegócio, motor do desenvolvimento do Brasil.

FECAP reuniu em e-book os principais números do País no setor

 

 

Não é à toa que se diz que o Agronegócio é o grande motor do desenvolvimento do Brasil. O setor saiu praticamente ileso da crise provocada pelo Coronavírus e corresponde a uma grande fatia do Produto Interno Bruto brasileiro. É uma área que gera empregos e riqueza ao País e ainda tem muito a ser explorado.

 

 

A FECAP lançou o e-book “Visão do Agronegócio Brasileiro e Estudos Econômicos”, contextualizando os dados mais amplos sobre o País e sobre a relevância internacional do Brasil no setor.

 

 

O material é produto do esforço de coleta e organização de dados dispersos sobre o relevante setor do agronegócio. “Acreditamos que o estudo do e-book é um bom ponto de partida para a melhor compreensão do setor no País, o que pode gerar análises, debates e decisões mais bem embasadas”, diz o reitor da FECAP, Edison Simoni.

 

 

O material completo pode ser baixado no link a seguir: http://marketing.fecap.br/lp-e-book-agronegocio.

 

 

Internacionalmente, o Brasil tem gigantescas oportunidades em todas as cadeias produtivas, do A do abacate ao Z do zebu, sem esquecer das “bananas” e do suco de laranja na Ásia, por exemplo.

 

 

O planejamento estratégico, o plano de marketing e os planos de negócios com a moderna visão de cadeias de valor passam a fazer parte não apenas da formação de qualquer profissional nas áreas de ciências agrárias, assim como da administração, biológicas, comunicação, diplomacia. E também significará a diferença das estratégias de crescimento do PIB do Brasil, associado à capilaridade de sua distribuição”, diz o coordenador do Agribusiness Center da FECAP, Prof. Dr. Jose Luiz Tejon Megido.

 

 

NÚMEROS

 

 

– O valor bruto da produção agropecuária brasileira em 2020 está estimado em R$ 697 bilhões.

 

 

– Em 2019, o PIB do agronegócio brasileiro foi estimado em R$ 1.552.995 milhões.

 

 

– O Brasil é o maior produtor mundial de açúcar, café, suco de laranja e carvão vegetal; o segundo maior produtor de sementes oleaginosas e celulose; e o terceiro maior produtor mundial de carnes e frutas.

 

 

– Embora tenha sido o 5º maior produtor mundial de produtos agrícolas (95 bilhões de dólares em produção agrícola) em 2017, o volume relativo ainda é pequeno, se comparado aos dois maiores produtores: China (969 bilhões de dólares em produção agrícola) e Índia (414 bilhões de dólares em produção agrícola).

 

 

– Em 2017, o Brasil aparece em 2º lugar entre os vinte maiores exportadores de produtos agrícolas do mundo, com 66,19 bilhões de dólares exportados, perdendo apenas para os Estados Unidos, com 77,13 bilhões de dólares exportados.

 

 

– Entretanto, quando são explorados os dados sobre importação mundial de produtos agrícolas, no ano de 2017, o Brasil aparece apenas no 41º lugar, com 4,57 bilhões de dólares exportados.

 

 

– Apesar dos números expressivos de produção, o mercado de seguro agrícola no Brasil ainda é pequeno e inexplorado. Concentra-se, em sua maior parte, na produção de grãos. A taxa de cobertura de seguro agrícola brasileira, em 2018, era de 6%, número baixo em comparação com os Estados Unidos (87%), China (75%) e Índia (30%).

 

 

– Apesar de a maior parte dos recursos financeiros para a agricultura brasileira não vir de programas governamentais, o mercado de crédito no Brasil ainda é de difícil acesso, se comparado a outros países, refletindo-se, pois, em menor aporte de recursos para o setor agrícola. Mesmo assim, o Brasil se configura como um dos países que mais aportam recursos para a agricultura por meio do Estado: 95.720,60 bilhões de dólares em gastos governamentais em 2017. Em comparação, a China investiu 282.433,52 bilhões de dólares, e os EUA 8.943,57 bilhões de dólares.