Tereos conclui o primeiro financiamento sustentável do setor sucroenergético brasileiro com um novo empréstimo de longo prazo no valor de US$ 105 milhões.

A transação, com prazo de 5 anos, foi estruturada com o suporte de um sindicato de 7 bancos de relacionamento de longo prazo e prevê redução na taxa de juros, com o atingimento das metas de sustentabilidade definidas.

 

 

A Tereos Açúcar & Energia Brasil (“TAEB”), uma das líderes na produção de açúcar e etanol no País, anuncia a conclusão e desembolso de um novo empréstimo de US$ 105 milhões, o primeiro financiamento sustentável do setor sucroenergético brasileiro. Este é também a primeira transação do gênero em nível global do grupo Tereos, presente em 18 países.

 

 

Por meio do mecanismo atrelado à sustentabilidade, a Tereos se compromete com quatro metas ambiciosas de desenvolvimento sustentável, seguindo quatro indicadores de desempenho: redução anual de emissões de gases de efeito estufa por tonelada de cana processada; redução anual no consumo de água por tonelada de cana processada; aumento anual da porcentagem de cana certificada; e melhoria na pontuação de avaliação formal de critérios ambientais, sociais e de governança corporativa (ESG, na sigla em inglês). Como parte do financiamento, a Tereos terá uma redução da taxa de juros para cada ano em que cumprir as metas de desempenho de sustentabilidade, verificadas por um auditor independente.

 

 

A linha de pré-pagamento de exportação (PPE), com prazo de 5 anos, no valor de US$ 105 milhões, irá financiar as exportações da Tereos Açúcar & Energia Brasil e refinanciar uma grande parte da dívida existente com vencimento neste ano.

 

 

Os bancos ING e Natixis atuaram como coordenadores da transação e também coordenadores de sustentabilidade. A operação também contou com a participação dos bancos BNP Paribas, CIC, Citibank, Commerzbank e Rabobank.

 

 

“Ao vincular nossos financiamentos ao desempenho sustentável, nós nos comprometemos ainda mais a promover essa prática em nossas operações. Estamos orgulhosos de dar este passo à frente com o empréstimo sustentável, apoiado por muitos de nossos parceiros financeiros de longo prazo”, comentou Stephanie Billet, CFO do grupo Tereos .

 

 

“A Tereos é reconhecida por suas práticas agrícolas ambientalmente responsáveis por instituições como a Bonsucro e a EcoVadis, que posicionou o Grupo entre o Top 1% das empresas do agronegócio devido às suas práticas de sustentabilidade. O financiamento sustentável é mais um reconhecimento deste compromisso com o meio ambiente, formalizado por instituições financeiras líderes no mercado internacional”, destaca Jacyr Costa Filho, membro do Comitê Executivo do grupo Tereos.

 

 

“O ciclo da cana-de-açúcar é um dos melhores exemplos de economia circular, em que nada é desperdiçado: o bagaço da cana vira bioenergia e os resíduos se transformam em fertilizantes naturais ou em biogás”, diz Pierre Santoul, CEO da Tereos Açúcar & Energia Brasil. “O etanol é um combustível renovável que emite até 90% menos CO2 em seu ciclo de vida completo, quando comparado à gasolina. É uma indústria sustentável por natureza. Estamos muito satisfeitos por sermos a primeira empresa do setor sucroenergético brasileiro a obter um empréstimo sustentável e agradecemos aos nossos parceiros financeiros por nos apoiar nesta conquista,” complementa Santoul.

 

 

“Alinhado ao nosso compromisso com ações climáticas por meio do apoio aos nossos clientes com soluções inovadoras de financiamento verde, o ING tem o prazer de apoiar a Tereos na execução bem-sucedida deste empréstimo pioneiro”, diz Eber Faria, head de commodities, alimentos & agricultura do ING na América Latina. “A natureza ambiental, sustentável e de governança corporativa do financiamento, combinada com a estrutura de pré-pagamento de exportação, foram atributos essenciais que levaram ao sucesso do sindicato. Como membro ativo da Iniciativa Financeira do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, nosso objetivo continua sendo incorporar soluções de sustentabilidade aos financiamentos para proteger o planeta para as gerações futuras”.

 

 

Helena Radzyminski, head do Natixis para América Latina, complementa que “o Natixis tem o prazer de apoiar a Tereos, com quem temos uma relação próxima e de longo prazo, neste importante passo para trazer estratégias sustentáveis para o setor sucroenergético brasileiro. Esta transação não é apenas um marco para o setor no País, mas um novo capítulo na história que construímos juntos, com responsabilidade social e ambiental como o princípio que orienta nossa visão estratégica. A transação é mais um exemplo do compromisso do Natixis com o desenvolvimento de produtos e soluções inovadoras com os parceiros certos para apoiar os clientes nas suas próprias jornadas rumo a um modelo de negócios mais sustentável”.

 

 

Foto divulgação: Leonardo Concon