Sistema radicular impacta na longevidade e produtividade do canavial

A Fertiláqua, um dos maiores grupos de nutrição, fisiologia de plantas e revitalização de solo, realizou, em parceria com o Grupo IDEA, o Webinar Solo Vivo e a Produtividade Canavieira.

 

 

O evento contou com a participação dos especialistas do setor: Fernando Andreote, professor na Esalq/USP, Saulo Quassi de Castro, engenheiro agrônomo na AgroQuatro-S, Dorotéia Ferreira, gerente da Fertiláqua e Dib Nunes, do Grupo IDEA.

Foram abordados temas relacionados à vida no solo e ao sistema radicular, diretamente ligados à produtividade do canavial, com foco nas relações entre a microbiologia do solo, o sistema radicular e a presença de matéria orgânica.   

 

 

A cultura da cana-de-açúcar utiliza diversas práticas no dia a dia que impactam diretamente na biologia dos solos, como o preparo inadequado da terra, a intensificação na mecanização, a baixa adoção de rotação de culturas e o aumento do uso de defensivos químicos. Essas práticas realizadas há anos levou a cultura a um cenário com perdas significativas de produtividade, impactando também na longevidade do canavial.

 

 

Diante disso, o setor tem buscado caminhos para mitigar esses problemas, melhorar a absorção de água, nutrientes e aumentar a resistência da planta à adversidades, com o objetivo de aumentar o patamar atual de produtividade.

 

 

Segundo Andreote, o sistema radicular é resposta para todas as questões. “Estamos olhando mais para a parte abaixo do solo e isso tem mudado a forma de entender agricultura. 90% dos problemas sob o solo não sabemos ainda como resolver. O grande desafio está aí”, comenta.

 

 

Com um sistema radicular mais profundo, a planta tem acesso a maior quantidade de água e nutrientes, auxiliando em seu crescimento, e no momento do corte, a cana se torna menos suscetível ao arranquio, o que minimizará o número de falhas no canavial, tornando-o mais produtivo, inclusive nos cortes subsequentes.

 

 

Além das partes física e química, a biologia do solo também tem sido tema de discussão entre produtores, departamentos técnicos das usinas e comunidade científica. Para um solo fértil e um ambiente equilibrado, esses três fatores devem receber os mesmos cuidados e atenção.  

 

 

Para de Castro, a relação solo-planta é importante na busca pelo incremento da produtividade. “Tudo começa no sistema de plantio. É preciso diminuir o pisoteio para o solo “ficar vivo” na linha da cana. A sistematização e o uso de agricultura de precisão são muito importantes. Um canavial bem plantado, bem conduzido e sistematizado, não vai ter pisoteio e irá refletir na colheita. Preservar a linha da cana mantém a microbiota ativa”, explica.

 

 

Doroteia apresentou a linha exclusiva para cana-de-açúcar da Fertiláqua que conta com os condicionadores de solo Longevus Planta, aplicado no sulco de plantio, Longevus Soca, aplicado na soqueira, além do Energy Cana, fertilizante foliar de última geração, e o adjuvante Tensor Max.

 

 

Os condicionadores de solo são compostos por ácidos orgânicos, como o fúlvico, que tem a função de estimular a produção de um sistema radicular mais profundo e em volume, além de ativar a parte biológica, o que reduzirá a compactação do solo, na brotação uniforme na cana planta e na redução de falhas no plantio.

 

 

Estudos realizados pela empresa apontaram resultados em que o incremento de produtividade com Longevus Planta foi de 19%, em média, enquanto com Longevus Soca, o número foi de 17%.

 

 

Mais informações sobre os programas da companhia no website: http://fertilaqua.com/.