Produtores de açúcar brasileiros buscam auxílio da tecnologia.

O Brasil, há muitos anos líder mundial na produção de açúcar, vem enfrentando dívidas devido ao excesso de oferta do produto e queda nos preços. Como as empresas de açúcar do país podem permanecer financeiramente viáveis?

Alguns produtores de açúcar estão se voltando para o biocombustível, outros estão buscando novos mercados para exportação e muitos estão tentando a agricultura de precisão. Qualquer que seja a direção que escolherem, são necessárias novas tecnologias, disseram especialistas do setor que falaram recentemente no Bloomberg Sugar Lunch.

“Manter intacta a saúde financeira do setor sucroenergético é sempre um desafio. O mercado está mudando rapidamente e precisamos de mais dados e ferramentas para uma boa análise crítica”, diz Juliano Merlotto, da FG/A, empresa de consultoria especializada no setor agroindustrial.

Os produtores de açúcar precisam de recursos para acompanhar de perto os mercados financeiros e calcular a mistura certa na produção de adoçantes versus etanol. Eles também precisam de dados e informações para explorar novos mercados para exportação de açúcar.

“O mercado do agronegócio é extremamente importante para o Brasil e podemos ajudá-los com os mais recentes dados, tecnologia e ferramentas, especialmente no que diz respeito ao comércio”, diz Geraldo Coelho, Head de Vendas da Bloomberg na América Latina.

Encontrar novos mercados de exportação é um tópico popular de discussão, pois representa uma solução de longo prazo para os produtores de açúcar que desejam expandir seus negócios no exterior e atrair novos parceiros comerciais. Para prospectar novos compradores, executivos de etanol e açúcar precisam de notícias e pesquisas de mercado, análises de oferta e demanda agrícola, previsões de preços e uma calculadora de arbitragem, disse Coelho. Dados agrícolas, gráficos e estatísticas econômicas são valiosos, assim como o comércio eletrônico de mercadorias, tudo disponível no Terminal Bloomberg, acrescentou.

As novas tecnologias também estão auxiliando os agricultores a otimizar o tempo, aumentar a lucratividade e implementar práticas sustentáveis. A agricultura de precisão, que utiliza tecnologia da informação para analisar o gerenciamento do solo, ajuda a aumentar a produção agrícola e reduz o impacto econômico e ambiental.

A agricultura de precisão tem sido utilizada com sucesso na mecanização de colheita e plantio e na cogeração de energia, de acordo com um resumo do mercado realizado pela FG/A no setor de agronegócio brasileiro, analisando dados dos últimos 15 anos. Embora a maioria dos agricultores brasileiros já esteja usando este novo modelo, as estimativas da indústria mostram que ainda há muito espaço para o crescimento da prática.