Primeiro consumidor recebe Selo Energia Verde da UNICA.

Localizado em São Paulo, o Clube Paineiras do Morumby é o primeiro consumidor no mercado livre de energia a receber, em 2020, o Selo Energia Verde emitido pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), no âmbito do Programa de Certificação da Bioeletricidade, idealizado pela UNICA, em parceria com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e apoio da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel).

 

 

O Selo foi emitido para o Clube Paineiras do Morumby porque adquire energia elétrica no mercado livre através de comercializadora de energia também certificada pela UNICA e associada à Abraceel. A comercializadora que vendeu energia para o Clube Paineiras do Morumby foi a Delta Comercializadora de Energia. A comercializadora Delta está certificada, desde junho deste ano, por adquirir bioeletricidade de usinas sucroenergéticas em contratos com duração mínima de 6 meses e volume mínimo de 0,3 MW médio/ano, além de cumprir outros requisitos exigidos pelo Programa de Certificação da Bioeletricidade.

 

 

Até o momento, 83 usinas de biomassa de cana, 16 comercializadoras de energia elétrica e, agora, um consumidor no mercado livre já receberam o Certificado e o Selo Energia Verde emitidos pela UNICA.

 

 

Ao longo de 2020, de acordo com a UNICA, as 83 usinas certificadas devem produzir quase 20 mil GWh, sendo 64% serão ofertados ao Sistema Interligado Nacional e 36% destinados ao autoconsumo das unidades sucroenergéticas. Essa geração anual renovável pelas usinas que fazem parte do Programa é equivalente à metade da geração anual da Usina Belo Monte ou a 25% da produção de energia do ano passado de Itaipu. Do lado do consumo, esses 20 mil GWh são equivalentes a 12% do consumo anual industrial de energia elétrica no Brasil ou a metade do consumo anual das residências no Estado de São Paulo, além de evitar a emissão estimada de quase 7 milhões de toneladas de CO2, marca que somente seria atingida com o cultivo de 46 milhões de árvores nativas durante 20 anos.

 

 

O programa foi criado em 2015 e pode ser concedido sem custo a comercializadoras em qualquer estado que comprem energia renovável de unidades produtoras com certificado de bioeletricidade e que atendam aos critérios estabelecidos nas Diretrizes Gerais do Programa. Consumidores no mercado livre de energia elétrica também podem obter sem custo o Selo Energia Verde, desde que comprem energia de comercializadoras detentoras do Selo Energia Verde ou diretamente das usinas certificadas, e se enquadrem nas Diretrizes Gerais do Programa.

 

 

Segundo a UNICA, os principais objetivos do Programa são oferecer aos consumidores e comercializadoras no mercado livre a possibilidade de mostrar preocupação com um consumo de energia elétrica que seja a partir de fontes renováveis, além de estimular a expansão da bioeletricidade e do próprio mercado livre.