Prevenção :

A Superintendente do Polo Lagoa da Prata da Biosev, Tânia Fernandes, recebeu nesta quinta-feira (24) representantes das polícias Militar e Ambiental para discutirem as estratégias adotadas para prevenção e repressão a incêndios florestais criminosos. Entre maio e setembro, período mais seco e sem chuvas no sudeste brasileiro, a ocorrência de incêndios criminosos geram prejuízos para a colheita, para a fertilidade do solo para as próximas safras e também para o meio ambiente.
Estiveram presentes na unidade da Biosev o comando regional da Polícia Ambiental, representado por policiais ambientais dos municípios de Luz, Lagoa da Prata, Bom Despacho, Japaraíba e também os policias Militares de Lagoa da Prata e de Luz, além da Tânia Fernandes e do gerente Agrícola, Rafael Silva.
No encontro, foram apresentadas as ações que a Biosev adota na atual safra para combater os incêndios criminosos na região. Além disso, foi informado que um helicóptero irá sobrevoar a região para apoiar e facilitar a identificação de focos de incêndios e assim agilizar o combate.
“O trabalho de combate aos incêndios criminosos em parceria com as polícias militar e ambiental é fundamental para redução dessas ocorrências. Os esforços em conjuntos permitem que os recursos disponíveis sejam bem utilizados, reduzindo o número de casos e a área queimada”, explica Tânia Fernandes. Nesse ano houve uma queda de 60% na incidência de incêndios na região, em comparação com 2016.
 
Campanha
Para reduzir incêndios, a Biosev trabalha com campanha para conscientizar as pessoas sobre os riscos do fogo, principalmente nessa época do ano, onde o canavial está mais seco e, muitas vezes, com palha no solo.
Entre os meses de maio e agosto, a Biosev visitou escolas nas cidades de Lagoa da Prata, Japaraíba, Luz e Capoeirão com palestras para os alunos explicando que a empresa não pratica a queima da cana, já que sua colheita é 100% mecanizada, e como todos também podem ajudar a prevenir incêndios. Uma cartilha produzida pela Biosev, com apoio da Polícia Militar de Minas Gerais e Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Lagoa da Prata, foi entregue aos alunos com instruções, dicas e atividades para promover a conscientização.
Além do trabalho nas escolas, outdoors com a campanha estão expostos nas cidades de Lagoa da Prata, Luz e Japaraíba. E foram realizadas blitzes, em parceria com a Polícia Militar de Meio Ambiente, para reforçar a informação sobre os incêndios entregar saquinhos de lixo para carro.
“Sem chuvas, um foco de fogo, por menor que seja no início, pode aumentar e se alastrar rapidamente. Toda a equipe da Biosev está empenhada para reduzir e, até mesmo, acabar com os incêndios criminosos”, diz Tânia, reforçando que a Biosev não queima cana-de-açúcar. As colheitas realizadas nos canaviais da empresa são 100% mecanizadas, anulando a possibilidade de queimadas provocadas pela companhia. A empresa conta também com equipes de combate à incêndios.
 
Colaboração
As pessoas também podem ajudar no combate a incêndios nos canaviais seguindo algumas dicas:
– Não queime lixo nas proximidades dos canaviais;
– Não jogue tocos de cigarro nem fósforos às margens de rodovias;
– Evite acender fogueiras;
– Não solte balões, a queda dos mesmos pode provocar incêndios, queimar florestas, causar acidentes aeronáuticos e outras graves ocorrências. Soltar balão é crime de acordo com a Lei 9.605/98;
– Quando for realizar alguma queima controlada para renovação de pastagem ou para limpeza de alguma área, procure antecipadamente os órgãos ambientais, o Corpo de Bombeiros e as Brigadas Civis;
– Ao perceber um foco de incêndio em algum canavial ligue para o Fale com a Biosev 0800 940 9199
– Muitos incêndios são causados intencionalmente. Fique atento a qualquer atividade suspeita próxima aos canaviais, outras áreas de plantio, áreas de preservação ou florestas e avise as autoridades competentes.