Prêmio Fundação Bunge:

O físico Silvio Crestana, pesquisador e um dos fundadores da Embrapa Instrumentação Agropecuária, será homenageado na categoria “Vida e Obra”, e o engenheiro agrônomo Pedro Henrique Brancalion, autor de inúmeras pesquisas e projetos de extensão para manejo e restauração de florestas nativas tropicais de forma economicamente viável e com inclusão social, será contemplado na categoria “Juventude”, do 63º Prêmio Fundação Bunge.
A premiação incentiva inovação e disseminação de conhecimento e reconhece profissionais que contribuem para o desenvolvimento da cultura e das ciências, além de estimular novos talentos. Crestana e Brancalion foram indicados por universidades e institutos de pesquisas do Brasil e ambos tiveram sua trajetória analisada por uma comissão técnica de especialistas na área de premiação. A cerimônia de entrega do Prêmio será no dia 13 de novembro, na sede do CIEE, em São Paulo (SP).
Crestana receberá, ainda, o prêmio de R$ 150 mil e medalha de ouro. Graduado e com mestrado e doutorado em Física pela Universidade de São Paulo, Crestana ganhou destaque internacional como cientista pelo trabalho pioneiro de introdução da tomografia computadorizada na Ciência no Solo. Além de contribuir há mais de 30 anos com estudos na área da Física e fazer parte da história da Embrapa Instrumentação Agropecuária, centro de pesquisa ligado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o pesquisador é co-autor de mais de 200 trabalhos científicos publicados em revistas e congressos no Brasil e no exterior.
Já Brancalion receberá o prêmio de R$ 60 mil e medalha de prata. O pesquisador e engenheiro agrônomo está à frente do Laboratório de Silvicultura Tropical da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ) da Universidade de São Paulo, considerada uma das melhores do mundo nos rankings de ciências agrárias. Há menos de um mês, Brancalion também revelou potenciais fraudes na exploração de madeira na Floresta Amazônica em estudo publicado na revistaScience Advances, principal publicação científica do mundo.
Sobre o Prêmio Fundação Bunge
O Prêmio Fundação Bunge foi criado em 1955 para incentivar a inovação e a disseminação de conhecimento e para reconhecer profissionais que contribuem para o desenvolvimento da cultura e das ciências no Brasil, além de estimular novos talentos. Desde então, mais de 190 personalidades já foram homenageadas. Na área de Ciências Agrárias estão nomes como do agrônomo Alysson Paolinelli, um dos fundadores da Embrapa, e o engenheiro agrônomo Eurípedes Malavolta, que foi pesquisador na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ) da Universidade de São Paulo (USP) e membro da Academia Brasileira de Ciências.
Sobre a Fundação Bunge
A Fundação Bunge, entidade social da Bunge Brasil, há mais de 60 anos atua em diferentes frentes com o compromisso de valorizar pessoas e somar talentos para construir novos caminhos. Suas ações estabelecem uma relação entre passado, presente e futuro e são colocadas em práticas por meio da preservação da memória empresarial (Centro de Memória Bunge), do incentivo à leitura (Semear Leitores), do voluntariado corporativo (Comunidade Educativa), do desenvolvimento territorial sustentável (Comunidade Integrada) e do incentivo às ciências, letras e artes (Prêmio Fundação Bunge).