Pernambuco pode ter terceira usina gerida por cooperativa de canavieiros.

 

 

Nesta quarta-feira (15), uma comitiva formada pelo prefeito da cidade, diretores da usina Estreliana e da cooperativa agroindústria de fornecedores de cana (Copersul) acompanhou os trabalhos de preparação do parque industrial para a reativação da Estreliana nesta safra. A unidade deve se tornar a terceira usina no estado administrada pelo mesmo modelo cooperativado de sucesso de canavieiros pernambucanos, como a Coaf/Cruangi, em Timbaúba, e a Agrocan/Pumaty, em Joaquim Nabuco. A Associação dos Fornecedores de Cana (AFCP) informa que as negociações para o arrendamento da usina pela Copersul já estão em fase avançada. 

 

 

“O contrato está sendo analisado pela direção da Estreliana. Está próximo da Copersul arrendar a unidade”, fala Alexandre Andrade Lima, presidente da AFCP e líder do Conselho Agropecuário da Organização das Cooperativas do Brasil em Pernambuco (OCB-PE).O avanço das tratativas se deve ao empenho especial do prefeito de Ribeirão, Marcelo Maranhão, que é filho do proprietário da Estreliana.

 

 

O presidente da Copersul é o fornecedor de cana, Carlos Antônio César. Ele informa que o apontamento da usina está indo muito bem, ampliando a capacidade de produção de etanol. A AFCP e a Copersul estão na expectativa da concretização positiva do contrato para a cooperativa iniciar a reativação da Estreliana nesta safra.