Oportunidades em alta, produtor foca na colheita do milho safrinha, mirando a safra verão.

Prorrogação do prazo para que municípios enviem informativo de preços médios das terras indica Fisco mais exigente na cobrança do ITR em 2020

 

 

“O milho safrinha vem ganhando grande importância em diversas regiões produtoras do Brasil. A produção e a produtividade crescem ano após ano. Além disso, a cada safra o investimento em manejo químico, nutricional e consorciação com outras gramíneas, como a brachiaria, aumenta consideravelmente – da mesma maneira, a relevância econômica dessa cultura”, afirma Pedro Afonso, técnico de desenvolvimento de mercado da BRANDT do Brasil.

 

 

De acordo com o site Notícias Agrícolas o preço da saca de milho está aquecido, mas sofre pressão, devido à previsão de safra recorde no Brasil. O valor da saca de 60 kg está em torno de R$ 50,00 (Porto de Paranaguá), com fechamento em 29 de julho. 

 

 

“Esse aquecimento do mercado do milho fez com que os produtores investissem mais na cultura, principalmente em manejo fitossanitário e nutrição aplicada, esperando aumento na produtividade, para aproveitar a alta no preço da saca”, destaca Pedro Afonso.

 

 

Entretanto, houve um grande período de estiagem em algumas das regiões produtoras de milho safrinha no Brasil, reduzindo o potencial produtivo individual de cada região. “Mas ainda é cedo para se falar no quanto essa estiagem reduzirá a produtividade total esperada de milho safrinha em 2020”, diz o técnico de desenvolvimento de mercado da BRANDT.

 

 

O mercado segue em alta também para a cultura da soja cotada no dia 29 de julho, em Paranaguá a R$ 114,50 a saca, com variação de 0,44% deixando o produtor também em uma situação de investimento e foco, principalmente no início da cultura.

 

 

Nesse cenário, ganha importância o manejo eficiente de dessecação de pré-plantio da soja, justamente por eliminar as plantas invasoras que causam mato-competição com a cultura principal instalada. Para Pedro Afonso, um bom manejo envolve muitas variáveis, que muitas vezes estão fora do nosso controle, tais como temperatura ambiente, umidade relativa do ar, velocidade do vento incidência solar, entre outras.

 

 

“Para uma alta eficiência na dessecação, a escolha dos princípios ativos é de suma importância, devido à imensa variedade de plantas invasoras presentes no solo. O uso de um ou mais princípios ativos em uma única aplicação ou aplicações sequenciais vem sendo muito eficiente no controle das plantas daninhas, sempre fica o alerta de tomar os devidos cuidados no momento das aplicações. Cuidados como deposição de gotas, pH da calda, espuma e redução na deriva, dentre outros, os quais devem ser controlados com auxílio de produtos específicos para essa finalidade”, orienta

 

 

Recomenda-se ainda, uma ou duas aplicações em pós-emergência da cultura, visando o controle das plantas emergidas após o plantio, evitando potenciais perdas de produtividade por mato competição.

 

 

A BRANDT oferece para o mercado uma linha de fertilizantes focada na tecnologia de aplicação, com a qual o produtor consegue eficiência superior no controle de plantas invasoras, através da redução das possíveis perdas durante o processo de aplicação. São dois produtos na linha Action: BRANDT Action Spray e BRANDT Action Sil atuando na deposição de gotas, espalhamento, adesividade e redução de espuma e deriva.

 

 

Outro destaque na aplicação de herbicidas em controle de plantas invasoras em pós-emergência da soja é a linha de mitigadores de fitotoxicidade da Brandt, com destaque a Smart Trio e a Smart Quatro Plus, ambos da tecnologia Smart System, com alta compatibilidade com a maioria dos herbicidas do mercado, além de nutrir e agir diretamente na fisiologia das plantas, promovendo suporte nutricional eficiente, viabilizando e garantindo a absorção e translocação de cada molécula nutricional.

 

 

Foto-Wenderson-Araujo-CNA