Odebrecht Agroindustrial

O Polo Araguaia, da Odebrecht Agroindustrial, implementou este ano o Projeto Resíduo Zero, que tem como objetivo a adoção de boas práticas operacionais que incentivam o tratamento dos resíduos antes de encaminhá-los ao destino final. Um grupo formado por aproximadamente 15 pessoas, uma de cada área das unidades Morro Vermelho e Água Emendada, junto com a equipe de Meio Ambiente, reúne-se periodicamente para analisar e propor ações de melhorias para todos os ambientes da empresa.
Em um ano, houve redução de cerca de 96,5% na geração de todos os resíduos das áreas agrícola, industrial, administrativa e de manutenção. “Acreditamos que práticas simples no nosso dia a dia influenciam no cuidado com o meio ambiente. Estamos estimulando a habilidade de cada um em fazer o melhor uso das matérias-primas e dos materiais, gerando o mínimo possível de resíduo externamente”, conta Sérgio Fiorin, líder do Polo Araguaia.
Entre as práticas adotadas, algumas garantem também o reaproveitamento interno dos materiais. “Os guardanapos utilizados pelos integrantes nos refeitórios, por exemplo, antes eram encaminhados para um destino externo. Atualmente, nós misturamos com os resíduos orgânicos que sobram das refeições e transformamos em adubo orgânico para compostagem”, explica Silvio Melo, responsável por Segurança, Saúde e Meio Ambiente do Polo.
Na área da oficina automotiva, outra prática implantada pelo projeto ajuda na economia de recursos financeiros, além de reduzir o impacto ambiental. “Os tambores de óleo que são utilizados nas máquinas da indústria eram antes destinados às empresas especializadas em resíduo contaminado. Depois do Projeto Resíduo Zero, os tambores são devidamente higienizados e limpos internamente com produtos biodegradáveis e, depois, vendidos como material de reciclagem, a sucata ferrosa”, completa.
Em 2013, o Polo Araguaia gerava, aproximadamente, 370 toneladas de resíduos pesados (considerados agressivos ao meio ambiente) e cerca de 212 toneladas de material não reciclável. Em 2017, o número caiu para 12 toneladas de materiais pesados e 36 de materiais não recicláveis. “É visível que cada um dos mais de 1.800 integrantes das nossas unidades está consciente de sua responsabilidade com o meio ambiente. Eles estudam, analisam e propõem melhorias constantemente. Sei que eles levam todo o aprendizado, também, para seus lares e acredito que estamos ajudando a transformar as regiões em que atuamos. Cidadãos conscientes ajudam a renovar o futuro”, diz Fiorin.
Sobre a Odebrecht Agroindustrial
A Odebrecht Agroindustrial atua de forma integrada na produção de etanol, açúcar e energia elétrica. A empresa tem capacidade de produzir 3 bilhões de litros de etanol, 700 mil toneladas de açúcar e 3,1 mil Gwh/ano de energia elétrica a partir da cana-de-açúcar. Consolida seis polos produtivos, localizados nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás.