Marfrig tem o melhor primeiro trimestre da história, com receita de 13,5 bilhões de reais e margem 9,1%.

A Marfrig (B3:MRFG3 e ADR Nível 1: MRRTY), uma das líderes mundiais em carne bovina e maior produtora global de hambúrgueres, apresentou hoje à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) seu resultado fiscal do primeiro trimestre de 2020.

 

 

Em meio a um cenário global extremamente desafiante, afetado pela pandemia de covid-19, a Marfrig registrou alguns dos melhores resultados financeiros de sua história. As receitas líquidas atingiram 13,5 bilhões de reais, aumento de 26,6% em relação ao mesmo período de 2019. Entre os fatores que levaram a essa expansão estão o crescimento de 65% nas exportações da Operação América do Sul (composta por Brasil, Argentina, Uruguai e Chile) e a performance da Operação América do Norte, representada pela National Beef.

 

 

O Ebitda Ajustado (lucro antes de impostos, depreciações e amortizações) dos três primeiros meses deste ano foi de 1,2 bilhão de reais. Trata-se de um resultado 109% maior que o atingido no primeiro trimestre de 2019. A margem Ebitda Ajustado atingiu 9,1%, contra 5,5% na comparação anualizada. O lucro líquido (operações continuadas, desconsiderando-se despesas financeiras não recorrentes de 169 milhões de reais) foi de 32 milhões de reais.

 

 

“Mesmo com todas as dificuldades trazidas pela trágica pandemia de covid-19, a Marfrig demonstrou sua excelência operacional e os fortes laços de confiança que mantém com os clientes globais”, diz Marcos Molina dos Santos, fundador e presidente do Conselho de Administração da companhia. “Os números apresentados neste início de 2020 são fruto de um trabalho consistente de aumento da produtividade, inovação e disciplina financeira.”

 

 

Foco, Simplicidade, Excelência Operacional e Redução dos Custos Financeiros

 

 

Em janeiro deste ano — como parte do plano de redução de dívidas e despesas financeiras — a Marfrig liquidou, antecipadamente e com recursos próprios, 446 milhões de dólares em Notas Sênior, com vencimento programado para 2023 e juros anuais de 8%. Ao mesmo tempo, liquidou o equivalente a 938 milhões de reais em operações de capital de giro e reduziu 616 milhões em débitos de impostos federais. A companhia atingiu, assim, um custo médio de dívida de 5,8% ao ano, o menor de sua história. A alavancagem, medida em dólar, ficou no patamar de 2,84 vezes a relação entre dívida líquida e o Ebitda dos últimos 12 meses.

 

 

Além da das ações de liability management, que junto com a liquidação das operações de capital de giro resultaram numa redução no trimestre de despesas em juros de cerca de 135 milhões de reais, a Marfrig promoveu uma série de medidas para buscar a simplificação e a agilidade de suas operações. Entre as quais, a extinção da holding. A partir de então, Miguel Gularte, CEO da Operação América do Sul, e Tim Klein, CEO da Operação América do Norte, passaram a responder diretamente a seus respectivos conselhos de administração.

 

 

Na frente operacional, várias medidas de aumento de produtividade também foram executadas, sobretudo no Brasil. Unidades pouco produtivas — como a de Tucumã, no Pará — foram encerradas e a produção transferida para plantas com maior escala, como Várzea Grande, no Mato Grosso.

 

 

Operação América do Norte

No primeiro trimestre de 2020, a Operação América do Norte registrou seu melhor desempenho histórico. A receita líquida — 9,7 bilhões de reais (2,2 bilhões de dólares) — foi 7,5% maior que a registrada no mesmo trimestre de 2019 e representou 72% do faturamento total da Marfrig. “O resultado é reflexo de diversos fatores de mercado, entre os quais, a sólida demanda por carne bovina no mercado doméstico, a maior disponibilidade de gado e consequente aumento do número de abate, bem como o aumento no volume de vendas de produtos prontos no mercado americano”, diz Tim Klein, CEO da operação.

 

 

O lucro bruto da operação chegou a 1,1 bilhão de reais (229 milhões de dólares), crescimento de 29,1% em bases anualizadas. A margem bruta saiu de 8,7% no primeiro trimestre de 2019 para 10,5% nos primeiros três meses deste ano. O Ebitda Ajustado também bateu recorde e atingiu 812,2 milhões de reais (175 milhões de dólares), com margem recorde de 8,3% (8% em dólares).

 

 

Operação América do Sul

A Operação América do Sul teve, nos primeiros três meses deste ano, resultados positivos históricos em suas operações. A receita líquida foi de 3,8 bilhões de reais — crescimento de 26,1% quando comparado ao faturamento do primeiro trimestre de 2019. Um dos destaques, nesse aspecto, foi o aumento substancial da receita com exportações: 65%.

 

 

A maior parte das exportações teve como destino os mercados da China e de Hong Kong. “Somos a empresa com o maior número de plantas habilitadas para exportar para a China e isso fez enorme diferença”, diz Miguel Gularte, CEO da Operação América do Sul da Marfrig. “Também temos um histórico de relacionamento e de confiança com os clientes desses mercados. Quando a China começou a deixar para trás a crise do novo coronavírus, fomos beneficiados.” As exportações representam atualmente 60% das receitas totais da operação, contra 45% apresentado no primeiro trimestre do ano passado.

 

 

O grande destaque financeiro da América do Sul foi o crescimento da margem Ebitda, que passou de 3,5% no primeiro trimestre de 2019 e para 12,3% no mesmo período deste ano. O Ebitda Ajustado atingiu 464 milhões de reais, crescimento de 345% na comparação anual.

 

 

SOBRE A AMÉRICA DO SUL
A Marfrig é responsável pela gestão de 12 unidades de abate e 3 unidades de processamento no Brasil- incluindo a produção de alimentos prontos como carne enlatada, beef jerky, molhos e sachês. Esses produtos são comercializados no mercado interno em canais de varejo, atacado e foodservice, além de serem exportados para cerca de 100 países. A Marfrig também possui 5 unidades produtivas instaladas na Argentina, onde é líder nacional na produção e venda de hambúrgueres. No Uruguai, opera 5 unidades e é a maior empresa de abate e exportação do país. No Chile, a companhia é a principal importadora de carne bovina e mantém 1 unidade de abate de cordeiros que atende aos mais diversos países.

 

 

SOBRE A AMÉRICA DO NORTE
A National Beef, localizada nos Estados Unidos e controlada pela Marfrig, exporta para mais de 30 países e tem capacidade de abate de 13,1 mil cabeças de gado por dia. A companhia é responsável por 3 unidades de abate de bovinos, 5 unidades de processamento de carne, incluindo um curtume e uma das maiores fábricas de hambúrgueres do mundo, localizada em Ohio. Seus produtos são comercializados internamente nos canais de varejo, atacado e foodservice, sendo também a principal exportadora de carne bovina resfriada dos Estados Unidos, focada nos mercados do Japão e Coreia do Sul. A National Beef também responde pela comercialização de produtos aliados/complementares e os subprodutos originários do processo, operação de curtume e de logística, e venda de produtos online direto para o consumidor.