Rumo lança quarta edição do Relatório de Sustentabilidade

Empresa tem como meta reduzir em 15% as emissões específicas de gases de efeito estufa das locomotivas até 2025

 

 

 

 

 

Com o propósito de transformar e alavancar o transporte ferroviário por meio de uma logística mais limpa e eficiente, a Rumo publicou nesta sexta-feira (dia 24/07), seu Relatório de Sustentabilidade. A edição deste ano do documento traz nove compromissos da Companhia correlacionados com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). Entre eles, a meta de reduzir em 15% as emissões específicas de gases de efeito estufa de suas locomotivas até 2025.

 

 

Com uma gestão focada no longo prazo, na contínua busca por maior eficiência e segurança, e consequente entrega de solução logística perene e de qualidade, os compromissos abrangem índices relativos à segurança; eficiência energética e emissões; financiamentos atrelados a critérios de sustentabilidade; gestão de aspectos ambientais, sociais e de governança; participação em fóruns e iniciativas voluntárias de sustentabilidade e inovação; além de práticas que estimulem a diversidade, valores éticos e o desenvolvimento sustentável nas localidades onde a empresa atua.

 

 

“É uma robusta agenda de compromissos que pretendemos aprimorar ano a ano com uma gestão extremamente focada na sustentabilidade”, explica Beto Abreu, presidente da Rumo. “Os resultados conquistados até aqui em eficiência energética, inovação e segurança mostram que estamos no caminho certo na entrega de uma logística mais eficiente para o País”.

 

 

Green bond e redução de emissões

 

 

Uma das maiores empresas de logísticas do País, a Rumo vem seguindo uma trajetória consistente de expansão geográfica e hoje cobre 80% das regiões exportadoras do País. Seus trilhos ligam os principais centros produtores aos portos, contribuindo significativamente para o aumento da participação do Brasil no trade global de grãos (hoje em torno de 40%).

 

 

Desde que assumiu a concessão em 2015, a Companhia já reduziu em 26% o número de emissões específicas (equivalente a 750 mil toneladas de CO2), principalmente em razão da eficiência operacional obtida por meio da renovação da frota de locomotivas, da adoção de novas tecnologias como Trip Optimizer e do uso de inteligência artificial, à qual se somam os fatores comportamentais – incentivados por meio de treinamentos.

 

 

Recentemente, a empresa emitiu o primeiro green bond da história das ferrovias de carga na América Latina, captando US﹩ 500 milhões que serão destinados a “green projects” elegíveis para tornar o modal ferroviário mais limpo e eficiente. A operação foi certificada pela Climate Bonds Initiative (CBI), organização internacional que trabalha na mobilização do mercado de títulos para soluções de mudanças climáticas. O principal requisito é a emissão de menos de 21 gramas de CO₂ por tonelada e quilômetro transportado. Atualmente, as operações da Rumo apresentam valores médios de 15,8 gramas de CO₂ por tonelada e quilômetro transportado.

 

 

“Nossos investimentos em eficiência energética dos equipamentos e das vias resultaram em reduções significativas no consumo de combustível nos últimos anos”, diz Abreu. “Por isso, estabelecemos entre os nossos compromissos, reduzir em mais 15% as emissões por toneladas por quilômetro útil (TKU) até 2025”.

 

 

 

Sobre o Relatório de Sustentabilidade

Além dos dados relativos à eficiência energética e emissões específicas, o relatório aprofunda os aspectos sociais, econômicos e ambientais, bem como as diretrizes de governança, gestão de relacionamentos e os resultados operacionais e financeiros de 2019. O documento está disponível no link: http://ri.rumolog.com/sobre-a-rumo/sustentabilidade/
Foto divulgação: Diário do transporte