Governo de São Paulo recredencia Apla no Programa de Fomento Paulista.

O cluster fundado em Piracicaba se tornou referência global em tecnologia em biocombustíveis e bioenergia.

 

 

O Arranjo Produtivo Local do Álcool (Apla) foi recadastrado e reconhecido novamente pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) como APl (Arranjo Produtivo Local) no Programa de Fomento Paulista.

 

 

De acordo com ofício divulgado pela coordenadora de Desenvolvimento Regional e Territorial, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Karina Sayuri Sataka, o Apla é o único cluster localizado em Piracicaba.

 

 

O programa tem objetivos em desenvolver as cadeias produtivas paulistas, aumentar a competitividade das micro, pequenas e médias empresas, estimular o empreendedorismo baseado na interação e cooperação, fortalecer a economia regional e incentivar projetos de desenvolvimento produtivo.

 

 

Fundado em 2007, o Apla reúne todas as características da cadeia produtiva na produção de derivados da cana-de-açúcar como bioenergia e biocombustíveis. O diretor-executivo do Apla, Flavio Castellari avalia o crecimento do cluster, que hoje tem reconhecimento global devido ao trabalho desenvolvido no Brasil, América, Ásia, Europa e África na difusão do fomento das tecnologias brasileiras ligadas à tecnologia, soluções, produtos e serviços nacionais para produção de derivados da cana-de-açúcar.

 

 

Responsável pela gestão do Parque Tecnológico Piracicaba (PTP), o Apla está instalado no Núcleo Administrativo junto com mais de uma dezena de empresas incubadas. Vale destacar que além da sede da Raizen, várias outras empresas e os mais reconhecidos hubs de inovação do Brasil como AgTech Garage, Esalqtec, Avance Hub e Pulse têm sede e formam o ecossistema do PTP.

 

 

“Este reconhecimento é importante inclusive para Piracicaba e toda a região. Desde o início, o Apla trouxe uma forte aliança com instituições de pesquisa como Esalq/Usp, Cena, IAC, CTC, com associações como Acipi, Ciesp, Simespi, Coplacana, CEISE Br, Unica, além do desenvolvimento e progresso em nível local, estadual, federal e global, pois nosso Arranjo é referência para os países produtores de açúcar, etanol, bioenergia e bioprodutos”, disse Flavio Castellari.

 

 

Missões internacionais

 

 

Com mais de quinze anos de parceria, o Apla e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), por meio do Projeto Brazil Sugarcane Bioenergy Solution realizou mais de 125 missões internacionais em 40 países. Somente em 2019, o conjunto de empresas brasileiras participantes do projeto exportou mais de US$ 500 milhões.

 

 

Arranjos Produtivos

 

 

Arranjos Produtivos Locais (APLs) são aglomerações de empresas e empreendimentos, localizados em um mesmo território, que apresentam especialização produtiva, governança consolidada e mantêm vínculos de articulação, interação, cooperação e aprendizagem entre si e com outros atores locais, tais como: governo, associações empresariais, instituições de crédito, ensino e pesquisa.