Governo apoia ações para incentivar consumo de produtos da indústria de MS e preservar empregos.

O incentivo ao consumo dos produtos da indústria sul-mato-grossense, como o etanol, bem como nos estabelecimentos de comércio e serviços local é fundamental para manter o nível de atividade da economia e preservar empregos no decorrer e no pós pandemia do novo coronavírus. Essa é a avaliação do secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

 

 

“Em Mato Grosso do Sul, a Fiems e a Fecomércio lançaram campanha de incentivo às compras no comércio local, que é apoiada pelo Governo do Estado. Isso é importante, dentro dessa questão da pandemia, para preservação de empregos e para a própria arrecadação. Uma das propostas para estimular a compra de produtos da indústria local é identificar, nas prateleiras dos estabelecimentos comerciais, quais são esses produtos sul-mato-grossenses para que a população prestigie a produção local”, informa o secretário.

 

 

No mesmo sentido, a Biosul, que representa as indústrias do setor sucroenergético sul-mato-grossense, aderiu à campanha em nível nacional para estimular o consumo de etanol. “Para Mato Grosso do Sul, o consumo desse biocombustível é estratégico, tanto na questão do desenvolvimento sustentável quanto para a economia. Esse é um setor industrial no Estado que impacta diretamente em 39 municípios, concentrados nas regiões sul e sudeste. Consumir o etanol produzido aqui significa auxiliar na manutenção de 32 mil empregos diretos e 96 mil indiretos”, acrescenta o titular da Semagro.

 

 

“O governo do Estado vem trabalhando na mesma linha e uma das estratégias para recuperação da economia durante e pós covid é o estímulo aos produtos feitos pela indústria local. Para isso entendemos que é preciso que o consumidor saiba que aquilo que ele está comprando no comércio, no supermercado, é produzido aqui no Estado e que ao adquiri-lo, ele está ajudando a preservar o emprego de milhares de pessoas. Da mesma forma, nos postos de combustível, com o consumo de etanol”, finaliza Jaime Verruck.

Marcelo Armôa e Kelly Venturini – Semagro