Goiás reduz em mais de 40% os casos roubo no campo.

Dados do Observatório de Segurança Pública mostraram diminuição expressiva na modalidade criminosa, na comparação dos nove primeiros meses de 2020 com o mesmo período de 2019

 

 

A nova política de segurança pública no campo adotada pela atual gestão do Governo de Goiás é responsável por uma redução de 42,40% nos roubos em propriedades rurais no Estado. Os dados são do Observatório de Segurança Pública, da Secretaria de Segurança Pública, e referentes aos meses de janeiro a setembro de 2020, na comparação com igual período de 2019. Na análise dos nove meses deste ano, com o cenário encontrado em 2018, a queda é ainda mais expressiva: -48,37%. 

 

 

Ao longo dos 21 meses da atual gestão, foram mais de 60 operações realizadas pelas forças de segurança no campo. As ações resultaram em pelo menos 120 prisões, mais de 500 cabeças de gado recuperadas, além da apreensão de quase 100 armas de fogo. Os bons resultados foram celebrados pelo titular da pasta de Segurança Pública, Rodney Miranda. “O enfrentamento à violência na zona rural é um dos principais eixos na administração do governador Ronaldo Caiado e temos cumprido isso como muito rigor. O resultado tem sido altamente positivo, uma vez que somos referência para outros Estados e até mesmo alguns países. Os produtores rurais e famílias que vivem no campo também reconhecem este trabalho”, ressaltou. 

 

 

Uma das ações que contribuiu para a diminuição da criminalidade no campo foi a iniciativa do governador Ronaldo Caiado em criar o Batalhão Rural da Polícia Militar, por meio da Lei nº 20.488, de 2019. A unidade potencializou as ações operacionais rurais no Estado, trazendo maior proteção às famílias que vivem no campo. Dentro do Batalhão, foi implantado ainda o primeiro Centro Integrado de Inteligência Comando e Controle (CIICC) do país. Segundo o comandante do Batalhão, tenente coronel André Luiz de Carvalho, por meio das ações de georreferenciamento, hoje, mais de 30 mil propriedades rurais já foram cadastradas no sistema de monitoramento. 

 

 

“É um número considerável e nós estamos em um processo robusto de ampliação, com uma média de 4 mil novos cadastros semanalmente. Com isso, a gente espera fazer a média de quase 50 mil cadastros nos próximos 12 meses. E o Centro Integrado de Inteligência Comando e Controle serve não só pra controlar as nossas atividades, mas também para planejar, dar um direcionamento qualificado para a aplicação dos recursos operacionais. O Batalhão Rural, hoje, pode-se dizer que atua em todos os municípios do Estado”, pontuou. 

 

 

O trabalho, considerado pioneiro, das forças policiais de Goiás no combate à criminalidade no campo, foi referência para todas as outras unidades da Federação durante todo ano de 2019. Em dezembro do último ano, inclusive, representantes de 14 Estados brasileiros estiveram na sede do Batalhão de Polícia Militar Rural e do Centro de Comando e Controle Rural e de comitivas do Japão e da Colômbia. 

 

 

À época, o secretário Rodney Miranda já havia colocado o pioneirismo de Goiás à disposição. “O que queremos é combater a criminalidade no campo e contribuir com os outros Estados com o que estiver ao nosso alcance. Hoje estamos servindo como referência, devido a atenção que o governador Ronaldo Caiado determinou que tivéssemos em relação aos crimes no campo. Goiás está totalmente aberto para somar aos outros Estados”, garantiu.

 

 

Além das ações do Batalhão Rural da PM, as ocorrências no campo têm sido solucionadas com o fortalecimento da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Rurais (DERCR), da Polícia Civil. De acordo com o titular da especializada, delegado Pedromar Augusto de Souza, por meio da DERCR diversas associações criminosas que atuavam na zona rural têm sido desmanteladas. “Nesse ano nós fizemos várias operações, prendemos vários autores, pessoas perigosas envolvidas em roubos, furtos e que vivem em função do crime. O foco da delegacia é justamente dar paz social aos proprietários rurais, para que produzam e façam realmente o Brasil crescer”, afirmou. 

 

 

Com o trabalho desempenhado, a diminuição dos crimes passou a ser percebida de forma ainda mais clara. “A delegacia tem sido reforçada no seu efetivo, tendo apoio da Secretaria de Segurança Pública, objetivando combater ainda mais, com maior eficiência e rapidez, os crimes na área rural. Em razão desse combate efetivo, percebemos nesse ano de 2020, principalmente no segundo semestre, uma diminuição dos índices de criminalidade na área rural”, destacou o delegado. 

 

 

O governador Ronaldo Caiado fez questão de prestar elogios às forças de segurança, que possibilitam, desde 2019, uma queda constante dos crimes em Goiás. “Meu reconhecimento de público às polícias Civil e Militar, Polícia Técnico-Científica, Corpo de Bombeiros e Polícia Penal, por esse espírito público. Este é um compromisso do governo. A sociedade goiana tem de viver com tranquilidade. Não pode ser reprimida por aqueles que acham que vão ter espaço na criminalidade e vão ter proteção ou vista grossa do governo. Eles terão sobre si a mão forte do Estado. Nós não nos curvaremos, seja qual for o nível de criminalidade, ou com quais proteções eles queiram se apresentar”, assegurou.

 

 

Legenda: Trabalho de repressão aos crimes no campo é referência para o país: Ao longo dos 21 meses da atual gestão, foram mais de 60 operações realizadas em áreas rurais, com 120 prisões, mais de 500 cabeças de gado recuperadas, além da apreensão de quase 100 armas de fogo

 

 

Fonte: Governo de Goiás