FS Bioenergia capta US$ 550 milhões em títulos verdes de cinco anos.

A primeira emissão da empresa no mercado internacional atraiu US$ 1 bilhão e investidores estrangeiros

 

 

A FS, primeira usina de etanol do Brasil que utiliza milho em 100% de sua produção, acaba de realizar a captura de US$ 550 milhões em emissões de Títulos Verdes, aderindo aos Princípios de Green Bonds, segundo avaliação da SITAWI. O financiamento será utilizado para captar recursos com o propósito de implantar ou refinanciar projetos e compra de ativos capazes de trazer benefícios ao meio ambiente, em linha com o propósito do negócio da FS de alimentar cada vez mais a sustentabilidade.

 

 

Participaram da operação, coordenada pelo Morgan Stanley, mais de 60 investidores, na maioria estrangeiros, o que demostra a força e a atratividade da empresa para diversos mercados. Reflexo do trabalho focado na preservação do meio ambiente que é desenvolvido nos últimos três anos pela FS. Os títulos têm taxa de retorno de 10% e vencimento em cinco anos.

 

 

“Ao longo dos últimos três meses trabalhamos arduamente para apresentar a empresa para o mercado, que tem um modelo de negócio, até então, pouco conhecido pelos investidores. E com os excelentes resultados das nossas operações, somados às demandas expressivas, conquistamos uma visibilidade atrativa para o mercado. Para a nossa primeira emissão internacional, consideramos que a operação foi um sucesso”, afirma o CEO da FS, Rafael Abud.

 

 

Além da primeira emissão realizada no mercado internacional, em 2020, a empresa captou ainda R$ 530 milhões em emissões verdes no Brasil junto a duas instituições financeiras – Santander e Credit Suisse. O primeiro passo foi a emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA), no valor de R$ 210 milhões, pelo Credit Suisse, em fevereiro desse ano. Depois, em junho, a FS realizou a emissão de R$ 140 milhões em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), também com o Credit Suisse, e, por último, um empréstimo bilateral com o Santander no valor de R$ 180 milhões. Essas duas últimas, possuem juros atrelados a metas sustentáveis, modelo pioneiro no Brasil, e serão atendidas pela empresa até o final do ano.

 

 

As metas estabelecidas foram: se manter no ranking das top 10 de etanol anidro do RenovaBio; aumentar da transparência da divulgação de informações, por meio da obtenção do selo GRI – Global Reporting Initiative no seu relatório de sustentabilidade (todas já cumpridas pela FS); e a certificação da emissão em questão com base nos padrões do CBI – Climate Bonds Initiative, que será cumprida até o final de dezembro.