FGV Transportes promove webinar sobre concessões em rodovias.

Diretor da ANTT, Davi Barreto, está entre os convidados que abordarão os efeitos da pandemia no setor.

 

 

A FGV Transportes promove, no dia 4, o webinar “A situação atual e futura das concessões de rodovias no Brasil”. Realizado via zoom, terá a participação do diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Davi Barreto; da diretora de Assuntos Institucionais da Agência Reguladora de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp), Renata Dantas; do presidente da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR), César Borges; e do presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de São Paulo e Região (Setcesp) e sócio da Transportadora Braspress, Tayguara Helou.

 

 

O encontro, realizado em parceria com a ABCR, terá moderação do coordenador e do executivo de Relações Institucionais da FGV Transportes, Marcus Quintella e Rodrigo Vilaça, respectivamente. “Vamos debater como as concessionárias de rodovias conseguirão enfrentar a recuperação lenta e gradual da economia e aumentar sua participação na malha rodoviária brasileira, após a pandemia”, explica Quintella.

 

 

De acordo com dados divulgados pela FGV Transportes, o Brasil tem o maior programa de concessão de rodovias do mundo, mas, ao mesmo tempo, possui somente 12,4% de sua malha rodoviária pavimentada, sendo que cerca de 59% dessa malha encontra-se avaliada como regular, ruim ou péssima. A exceção fica por conta justamente das rodovias concedidas à iniciativa privada, cujas avaliações são majoritariamente boas ou ótimas. Tais concessões totalizam apenas 10,3% da malha pavimentada nacional, enquanto 89,7% das rodovias estão sob gestão estatal, cuja manutenção e conservação são precárias.

 

 

Com a Covid-19, estudos de demanda e as premissas que norteiam as modelagens das concessões precisarão de atualizações e de novos cenários, situação que provavelmente poderá adiar os leilões previstos para este ano, fazendo com que o Ministério da Infraestrutura inicie negociação para o reequilíbrio dos contratos de concessão de rodovias, devido aos fortes impactos da pandemia no setor, que ocasionou uma retração de 57% no fluxo de veículos leves e de 29% no de pesados, segundo a ABCR.

 

 

Cenário Atual – De acordo com Quintella, o Governo Federal tem convicção de que o investimento em infraestrutura é fundamental para o desenvolvimento econômico do país. O projeto de concessão de trechos das rodovias BR-153, BR-080 e BR-414, que formam o principal corredor de integração do Meio-Norte com o Centro-Sul do país, já foi enviado ao TCU. Trata-se da primeira experiência de concessão com base no modelo híbrido, ou seja, combinação entre o menor valor de tarifa e o maior valor de outorga fixa. A BR-163/230, que liga o porto de Miritituba, no Pará, ao terminal ferroviário de Rondonópolis, em Mato Grosso, também é listada como uma concessão estratégica para o setor do agronegócio e será um dos destaques do evento online.

 

 

Serviço:

 

 

A situação atual e futura das concessões de rodovias no Brasil

Data: 4 de junho (quinta-feira)

Horário: 14h30 às 16h

Plataforma: Zoom e YouTube

 

 

Inscrições: http://evento.fgv.br/concessaorodov/