FCO:

Fiems e Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), em conjunto com outras entidades do setor produtivo de Mato Grosso do Sul, atuam para acelerar a liberação de pelo menos R$ 300 milhões do saldo residual de recursos do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste) para 2017.
 
Até o momento, conforme o presidente da Fiems, Sérgio Longen, o Banco do Brasil, instituição financeira que opera o fundo, liberou R$ 1,7 bilhão em recursos para industriais, comerciantes e produtores rurais investirem em seus empreendimentos. A meta é encerrar o ano com pelo menos R$ 2 bilhões em operações contratadas. Ainda assim, haverá saldo R$ 200 milhões, já que foram aprovados R$ 2,2 bilhões em recursos para este ano.
 
“Colocamos uma meta bastante arrojada. Dos R$ 2,2 bilhões em 2017, nós devemos superar a casa dos R$ 2 bilhões, o que consideramos um desafio. Já são mais de R$ 1,7 bilhão contratados, e acreditamos que vamos chegar aos R$ 2 bilhões em contratações. Estive reunido com o superintendente do Banco do Brasil, Glaucio Zanettin, e quando esses números me foram apresentados fiquei bastante animado, especialmente diante desta meta dos R$ 2 bilhões”, afirmou Longen.
 
Outra avaliação positiva que o presidente da Fiems faz do FCO é sobre o montante anunciado para Mato Grosso do Sul em 2018, que vai se igualar ao de 2017, chegando aos R$ 2,2 bilhões. O valor foi anunciado durante reunião ordinária do Condel (Conselho Deliberativo do Desenvolvimento do Centro-Oeste), realizada na terça-feira (28/11). “É uma satisfação podermos contar em 2018 com R$ 2,2 bilhões em recursos do FCO, algo realmente histórico para nosso Estado, que em 2017 já conseguiu receber uma quantia expressiva do fundo, e manter esta linha de valores em 2018”, avaliou.
 
O secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, também comemorou o valor anunciado para Mato Grosso do Sul em 2018. “Conseguimos manter o repasse de 2017, o que é bastante significativo, e agora precisamos atuar e concentrar esforços para conseguirmos contratar 100% dos recursos liberados para em 2017, e provando que temos condições de fazer investimentos desta monta em nosso Estado”, disse.
 
Longen acrescentou, ainda, que mesmo diante do volume expressivo atuará também para redução dos juros dos financiamentos via FCO. “É um trabalho forte que temos feito. Precisamos ressaltar também que mesmo diante das reclamações dos empresários sobre a burocracia do Banco do Brasil, temos que reconhecer que houve um grande esforço nos últimos meses para reduzir este problema, e avanços significativos da equipe neste sentido”, salientou.
 
Segundo o Condel, o montante total disponibilizado para os Estados da Região Centro Oeste (Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e o Distrito Federal) em 2018 será de R$ 9,6 bilhões. A divisão será feita da seguinte forma: além do valor de Mato Grosso do Sul, Goiás e Mato Grosso terão R$ 2,7 bilhões cada e o Distrito Federal terá R$ 1,8 bilhão. Também haverá R$ 190 milhões para apoiar estudos de alunos do ensino superior, via Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior).