Exportações:

As exportações de carne bovina registraram crescimento de 10% em junho, quando comparado a maio, alcançando US$ 512 milhões em faturamento, segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC). Em volume, o resultado foi de 123.287 toneladas, aumento de 9% na comparação com o mês anterior. Estes resultados confirmam que junho foi, até agora, o mês com melhor desempenho neste ano.
 
Merecem destaque os resultados registrados na categoria carne in natura, que teve aumento de 11%, se considerada a comparação com junho do ano anterior. No mês passado, foram embarcadas 100.223 toneladas e gerados US$ 422 milhões em faturamento.
 
Já a comercialização de carne bovina industrializada teve aumento de 9,68% em junho, com o embarque de 7.866 toneladas, ante as 7.171 embarcadas em maio. O faturamento obtido nesta categoria foi de US$ 47 milhões, o que representa um aumento de 12,35%.
 
Considerando o retrospecto dos últimos seis meses, é perceptível uma evolução do faturamento com as exportações de carne bovina brasileira, sustentadas principalmente por uma sequência de altas dos preços médios do produto (gráfico abaixo).

Principais destinos

Posição

País/região

Faturamento US$ (junho/2017)

Volume em toneladas (junho/2017)

1

Hong Kong

120.098.286,00

30.790,06

2

China

66.826.255,00

15.607,94

3

União Europeia

52.761.332,00

8.265,00

4

Egito

47.352.815,00

13.060,26

5

Rússia

41.977.139,00

12.768,07

Hong Kong foi o principal destino da carne bovina brasileira exportada em junho, com um total de 30.790 toneladas, uma alta de 9,12% se comparado com o volume comercializado em maio. No ranking dos principais importadores, Hong Kong é seguido pela China, que teve aumento de 9,61% do volume de exportações, e pela União Europeia, com recuo de 1,1% (tabela abaixo).
A expectativa da ABIEC é que os resultados dos próximos meses continuem positivos. Com a aplicação das medidas corretivas, definidas em conjunto com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), espera-se que o mercado americano seja reaberto para as exportações de carne bovina in natura do Brasil. A ABIEC também continua focada em assegurar e ampliar a presença brasileira em mercados estratégicos e iniciar negociações com as demais nações.