Evento:

O Brasil é o maior produtor mundial de cana-de-açúcar, tendo grande importância para o agronegócio brasileiro. O aumento da demanda mundial por etanol, oriundo de fontes renováveis, aliado às grandes áreas cultiváveis e condições edafoclimáticas favoráveis ao cultivo, tornaram o Brasil um país importante para a exportação dessa commodity. Dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) indicam que a produção de cana-de-açúcar, estimada para a safra 2018/19, é de 625,96 milhões de toneladas, redução de 1,2% em relação à safra anterior.
Diante deste cenário, a Bayer participa em 18 de junho da 2ª edição do Unica Fórum, evento promovido pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) focado nos temas mais relevantes que movimentam o setor sucroenergético no Brasil e no mundo. De acordo com Ivan Moreno, responsável pela diretoria de Negócios Centro da empresa, este é um setor extremamente importante para o país. “A Bayer acredita neste cultivo e investe no desenvolvimento de novas ferramentas para que o agricultor alavanque sua produtividade”.
Como empresa de Ciências da Vida, a Bayer trabalha para trazer inovações que contribuam com o desenvolvimento sustentável canavieiro. À luz desta linha, a companhia trouxe recentemente para o mercado brasileiro, novas tecnologias para proteger as plantas de Cana, o inseticida Belt e o herbicida Alion. Produtos modernos, que combatem pragas e plantas daninhas de modo inovador, oferecendo efeitos positivos na produção dos canaviais.
A nova molécula de Alion® tem um amplo e inovador espectro de ação, que impede que as ervas daninhas se tornem resistentes aos seus efeitos. O defensivo apresenta ainda uma grande eficiência ambiental, pois basta uma dose muito pequena da molécula por hectare para eliminar as plantas daninhas ainda em fase pré-emergente. Essa eficiência facilita a armazenagem e o descarte de embalagens e racionaliza o uso da água.
Ivan explica que este investimento vem ao encontro da premissa da Bayer em investir cada vez mais em inovação para o campo. “A empresa considera o Brasil um país estratégico e continua investindo em tecnologias e serviços para apoiar o setor sucroenergético, para que ele continue a manter sua liderança internacional. Somos e continuaremos a ser o maior produtor de açúcar do mundo”.
Na área de serviços, a Bayer já tem em operação, há sete anos, uma plataforma intitulada Rede AgroServices, que conta com o Programa de Pontos Bayer. “Funciona de modo semelhante a um programa de milhagem de uma companhia aérea. Já temos inscritos cerca de 65% do agronegócio brasileiro”, explica Moreno. O agricultor adquire produtos da companhia e acumula pontos, que mais tarde poderão ser trocados por serviços. “Queremos trazer, para o setor da cana-de-açúcar, o trabalho de agricultura digital, que envolve tanto a agricultura de precisão como o uso de imagens aéreas na otimização do manejo da cultura”, diz Moreno.
Ao dedicar uma atenção especial ao setor canavieiro, a Bayer impôs como meta elevar a produtividade dessa cultura, que há mais de uma década está estagnada na casa de 80 toneladas por hectare. “Nossa participação no evento tem como objetivo sempre se manter próxima do setor para que, da melhor maneira, se desenvolva soluções para ajudar o canavieiro no campo a produzir mais e melhor”, finaliza Ivan Moreno.