Em MS, 63% dos pequenos negócios que buscaram empréstimo tiveram crédito negado.

Pesquisa realizada pelo Sebrae aponta ainda queda no faturamento dos empresários devido à crise gerada pelo Covid-19

 

 

Mesmo após as medidas anunciadas pelo Governo Federal para o enfrentamento à Covid-19, o crédito ainda não chegou aos empresários. É o que aponta a segunda edição do estudo “O impacto da pandemia do coronavírus nos pequenos negócios”, realizado pelo Sebrae entre os dias 3 e 7 de abril, que ouviu 72 pessoas em Mato Grosso do Sul e 6.080 em todo o país.

Para se ter uma ideia, a pesquisa mostra que no estado, a maioria dos empresários que já buscou crédito no sistema financeiro desde o início da crise do Coronavírus teve o pedido negado, equivalente a 63,1%. Outros 26,32% estão aguardando uma resposta ainda e somente 10,53% conseguiu o recurso.

Porém, dos que responderam ao levantamento, apenas 25,3% tentou um empréstimo para a empresa, já 74,6% disseram que não tentaram. A situação ocorre mesmo diante de uma necessidade, já que 48% afirmaram que precisarão pedir empréstimos para manter seu negócio em funcionamento sem gerar demissões.

“Apesar das medidas anunciadas, as instituições financeiras ainda estão organizando as ações operacionais. Algumas delas demoram para ficar disponíveis aos clientes. Recomendamos que os empresários procurem as instituições e fiquem atentos aos anúncios de medidas mais detalhadas. Também estamos monitorando e seguiremos divulgando para os pequenos negócios em nossos canais oficiais”, afirma o analista do Sebrae/MS, Vagner Teixeira.

O estudo aponta que ainda há bastante desconhecimento dos empresários a respeito das medidas divulgadas pelo governo federal, como as linhas de crédito com juros menores. Em MS, apenas 9,33% conhece “bem” estas medidas oficiais; 52% ouviu falar e 38,67% não conhecem.

Ainda segundo o analista do Sebrae/MS, Vagner Teixeira, os empresários precisam estar com os documentos atualizados para conseguir o empréstimo. “De uma forma geral, é necessário ser cliente da instituição e fornecer os documentos necessários para a análise do pedido de crédito. Pesquise também instituições financeiras concorrentes, pois elas podem ter menos exigências e a liberação do crédito ser mais rápida”.

Além da dificuldade de acesso a crédito, o levantamento também mostra que os pequenos negócios sul-mato-grossenses enfrentam queda no faturamento. Para 86,2% dos entrevistados, o faturamento caiu e a estimativa é que as empresas consigam permanecer fechadas e ainda assim ter dinheiro para pagar as contas por mais 20 dias, segundo a expectativa média dos entrevistados.

Ainda de acordo com a pesquisa do Sebrae, quanto à situação financeira das empresas, 31% disseram estar em uma situação boa antes da crise começar, e para 54%, a situação estava “razoável”.

“São tempos difíceis, de aflição para o empresário em um cenário de incertezas. Mas o Governo tem tomado medidas no sentido de crédito e o auxílio emergencial. Nós também estamos orientando em relação a como vender de maneira online, preparando o empresário para este momento. Ele deve agora olhar para a gestão e reorganizar a empresa”, finaliza o superintendente do Sebrae/MS, Claudio Mendonça.

O Sebrae tem atuado junto às diferentes instâncias de governo, ao Congresso e ao Judiciário para o desenvolvimento de soluções para o empresariado. Além disso, para este momento crítico, o Sebrae/MS ampliou o atendimento à distância e lançou ações específicas, como o programa de aconselhamento empresarial gratuito Sebrae Orienta e conteúdos com informação qualificada.

Os empreendedores interessados podem buscar atendimento e mais informações pelo telefone 0800 570 0800.

 

 

Foto divulgação: folha de Naviraí