Conab adota medidas para dar continuidade aos serviços públicos e de inteligência agrícola.

 

 

A Conab adotou medidas de prevenção em todas as suas unidades para dar continuidade aos serviços prestados à população, sem expor seus empregados ou a sociedade a risco de contágio. O objetivo é garantir os serviços essenciais e de atendimento às demandas sociais e evitar a fragilidade na coleta das informações agrícolas produzidas pela Companhia. Para isso, foi criado tanto um Plano de Contingência para salvaguardar a integridade dos empregados quanto um Plano de Continuidade de Serviços, que estabelece os pontos críticos e ações prioritárias para assegurar a ininterrupção de entregas à sociedade.

 

 

A Ação de Distribuição de Alimentos está entre os serviços que serão continuados, com as entregas já previstas para garantir, de forma regular, o abastecimento de grupos populacionais específicos em situação de vulnerabilidade social e insegurança alimentar. Os empregados operam em escala de revezamento e com a utilização de equipamentos de proteção individual, além da disponibilização de álcool em gel para higienização. Todos seguem a recomendação de evitar o contato físico e de realizar as entregas a um beneficiário por vez, evitando-se aglomerações no local.

 

 

No caso do Programa de Vendas em Balcão (ProVB), de venda de milho a pequenos criadores de animais, as operações seguem em execução, também em escala de revezamento dos empregados. A recepção do beneficiário nas Unidades Armazenadoras ocorre de forma limitada a uma pessoa por atendimento, valendo a mesma regra para as sedes das regionais. Somente está suspenso o cadastro presencial, que é realizado exclusivamente pelo Sistema de Cadastro Nacional de Produtores Rurais (Sican), no portal da Conab.

 

 

O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que apoia a comercialização de produtos da agricultura familiar, e a Política de Garantia de Preços Mínimos para os Produtos da Sociobiodiversidade (PGPM-Bio), que garante o pagamento de subvenção a famílias extrativistas quando são vendidos abaixo do preço mínimo, também seguem em operação. O contato com os beneficiários é feito por e-mail ou telefone.

 

 

Com relação às informações agropecuárias fornecidas pela estatal, desde as primeiras ocorrências de casos do COVID-19, a Conab manteve a comunicação com suas unidades estaduais em todo o país para preservar o acompanhamento das equipes técnicas, mesmo em trabalho remoto, para manter a transparência dos indicadores de mercado e auxiliar na execução das políticas e no poder decisório da cadeia produtiva.

 

 

A Companhia tem tomado todas as medidas necessárias para gerar informação agropecuária com qualidade e tempestividade, sem deixar de preservar a saúde dos seus empregados. Todas as pesquisas que necessitam de deslocamentos ou contatos presenciais foram suspensas durante a vigência da crise e serão realizadas com o auxílio de ferramentas como trabalho remoto, videoconferências, telefone, e-mail e outras tecnologias da informação disponíveis.

 

 

Como órgão responsável pelo abastecimento no Brasil, a Conab desenvolve todos os meios necessários para dar continuidade, com segurança, às atividades executadas de levantamento da produção e monitoramento agrícola. Este suporte é essencial às tomadas de decisão do Governo Federal para garantir a regularidade do abastecimento e contribuir para o desenvolvimento econômico. O acompanhamento de preços feito pela Companhia é outro indicador dos impactos da crise na comercialização e acesso de produtos básicos à população, além dos custos de produção, que subsidia as propostas de preço mínimo e os preços de referência dos produtos agrícolas, fundamentais para contribuir com a renda do produtor rural. Com isso, a Conab segue com a geração e a disponibilização de informações acerca da agropecuária, do abastecimento e da segurança alimentar e nutricional.