Campo Grande ganha “Laboratório de Análise de GLP”.

O município de Campo Grande (MS) terá um laboratório para realização de análise de produtos derivados de petróleo, sobretudo gás liquefeito de petróleo (GLP), conhecido como gás de cozinha. O laboratório, inaugurado ontem, 16, é um marco simbólico para o setor após o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) deliberar pelo fim da prática de preços diferenciados de GLP a partir de março de 2020, abrindo caminho para entrada de novos agentes na etapa de importação desse combustível.  

O laboratório atestará a qualidade do produto que será importado em larga escala da Bolívia, no montante anual de 72 mil toneladas de GLP, conforme contrato assinado entre a distribuidora brasileira Copagaz e a empresa boliviana Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB), o que contribuirá para o abastecimento do Centro-Oeste brasileiro. O volume contratado equivale a mais de um terço do consumo de GLP nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

A diversificação de agentes é um dos objetivos do Ministério de Minas e Energia (MME), contribuindo positivamente para a garantia do abastecimento nacional. Espera-se que outras rotas para importação de combustíveis sejam estabelecidas, com soluções logísticas eficientes e preços competitivos, resultando em benefícios diretos para o consumidor.

O “Laboratório de Análise de GLP” é fruto da parceria entre a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e as empresas Copagaz – distribuidora de GLP – e Superinspect – certificadora credenciada pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).