Brasil começa uso de biometano nas operações de siderurgia.

A Ternium é pioneira na utilização do gás renovável na produção de aço.

Pela primeira vez no Brasil, o gás biometano começa a ser utilizado na operação de uma siderúrgica. Com combustível renovável proveniente do Aterro Sanitário de Seropédica, na Zona Oeste do Rio, a Ternium vai substituir mais de 30% do consumo de gás natural fóssil por uma fonte mais sustentável. A substituição por biometano contribui para a redução das emissões de gases do efeito estufa.

O biometano injetado na tubulação de gás de baixa pressão do complexo industrial é para uso térmico no alto forno, aciaria, coqueria e sinterização, setores que fazem parte do processo de produção de aço. Serão até 72 mil Nm3 de biometano consumidos por dia.

“Com o início dessa operação, nós passamos a usar gás de energia renovável para produzir aço. É um projeto inovador que utiliza o gás gerado pelo lixo do aterro sanitário, e isso beneficia as empresas, a sociedade e o meio ambiente”, destacou o Vice Presidente de Operações, Titus Schaar.

O aterro de Seropédica, o maior da América Latina, atende cerca de dez milhões de pessoas e recebe diariamente dez mil toneladas de lixo do Rio de Janeiro, Seropédica e Itaguaí. O biogás, proveniente da degradação da matéria orgânica dos resíduos sólidos urbanos, é purificado na usina construída no local por meio da remoção completa de CO2, retirada de enxofre e outros contaminantes, e redução de nitrogênio. O biometano é o biocombustível gasoso obtido a partir desse processo e pode ser aproveitado como combustível veicular ou para geração de calor — que é o caso da Ternium.