Biosev atinge 1,8 bilhão no EBITDA ajustado na safra 19/20

Valor é 12,9% maior do que o registrado na safra anterior

 

 

A Biosev S.A. (B3:BSEV3), uma das líderes do setor sucroenergético, encerrou a safra 19/20 com EBITDA ajustado de R$ 1,8 bilhão, um crescimento de 12,9% em relação ao mesmo período da safra anterior. No 4T20, o indicador atingiu R$ 389,7 milhões, com margem EBITDA de 47,1% e EBITDA unitário de R$ 341,2 por tonelada, valores superiores ao 4T19 em 27%, 7,5 p.p e 29,2%. A variação é resultado da redução do CPV caixa, do aumento da receita líquida e da estratégia da Companhia de otimizar as vendas com prioridade aos produtos e períodos de maior captura de valor agregado.

 

 

A receita líquida na safra 19/20, excluindo-se os efeitos contábeis (não caixa) do hedge accounting da dívida em moeda estrangeira (HACC), atingiu R$ 6,8 bilhões, 7,6% superior à safra passada. No 4T20, o índice atingiu R$ 1,9 bilhão, 47,5% superior ao 4T19. Um dos fatores que contribuíram com o resultado foi o aumento da comercialização de etanol no mercado externo.

 

 

Com relação à operação, a moagem registrada na safra 19/20 totalizou 27 milhões de toneladas, em linha com a safra 18/19. Isso se deve à estratégia da Companhia de miitigação aos efeitos da geada que atingiu a região do Mato Grosso do Sul, compensada pelo crescimento de cerca de 5% nas outras regiões em que atua. Sobre a produtividade dos canaviais medida pelo TCH consolidado atingiu 82,9 ton/ha, 3,5% superior à safra passada, resultado decorrente das condições climáticas mais favoráveis no período de formação do canavial – que ocorre de janeiro a março.

 

 

O mix de etanol na safra 19/20 atingiu 65,3% em razão da maior rentabilidade do biocombustível frente ao açúcar. É um resultado em linha ao da safra anterior, sendo que o mix de anidro foi de 28,9%, 7,5 p.p. superior à safra passada, resultado da estratégia comercial de focar em produtos de maior valor agregado.

 

 

Para Juan José Blanchard, presidente da Biosev, o resultado reflete o alinhamento dos times ao objetivo da Companhia. “Tivemos ganhos expressivos de produtividade operacional, resultado dos últimos três anos de trabalho. Continuamos focados em reduzir custos e aumentar a eficiência ao mesmo passo em que nos adaptamos constantemente aos movimentos do mercado e ao desenvolvimento do setor. Durante a safra que se encerrou, trabalhamos muito focados em evoluir nossos processos no campo e nas unidades de produção, o que traz eficiência ao nosso negócio e contribui para a melhora crescente de nossos resultados”, afirma.

 

 

RenovaBio

 

 

A Biosev concluiu a certificação de todas as suas usinas para o programa RenovaBio, nova Política Nacional de Biocombustíveis do Governo Federal, cujo principal objetivo é ampliar a participação dos biocombustíveis na matriz de transportes brasileira, contribuindo ainda para a redução das emissões de gases de efeito estufa no país. Com essa certificação, a empresa está apta a emitir os CBIOs, créditos de descarbonização, com base em nossas notas fiscais de compra e venda. Cada CBIO corresponderá a uma tonelada de CO2 que deixou de ser emitido, não terá data de vencimento e será retirado de circulação somente quando for solicitada pelo seu detentor a aposentadoria do crédito. Para a emissão, será utilizado um escriturador (banco ou instituição financeira) e o registro, negociação e solicitação de aposentadoria será feito na B3 S.A. – Brasil, Bolsa e Balcão. Atualmente, a empresa está no processo de análise da escrituração.

 

 

COVID-19

 

 

Desde março a Biosev instituiu um comitê que coordena medidas preventivas e de mitigação de riscos seguindo estritamente as recomendações dos órgãos oficiais do governo, do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS), tendo como objetivo primordial a saúde de todos os colaboradores e das comunidades em que a Biosev atua, além da continuidade dos negócios.

 

 

As operações da Companhia foram mantidas de acordo com Decreto Federal No. 10.282, de 20 de março de 2020, que reconhece as atividades de produção e distribuição de comercialização de combustíveis e derivados como essencial e indispensável ao atendimento da necessidade da população e, portanto, não passível de paralisação.

 

 

Para isso, entre as ações adotadas pela Biosev estão a adaptação dos refeitórios para o limite de 50% da capacidade, com espaçamento do horário das refeições, separação das mesas por acrílico e modificação na forma de servir os alimentos; revisão do sistema de transporte dos colaboradores, com ampliação do número de veículos disponíveis, para operação com o limite máximo de 50% da capacidade; afastamento dos colaboradores do grupo de risco e adoção do home office nos escritórios de São Paulo e de Sertãozinho.

 

 

A Companhia também adaptou sua produção para transformar o etanol em álcool 70%. Dessa forma, contribuiu ativamente com a iniciativa da UNICA (União da Indústria de Cana-de-Açúcar) para doação ao Sistema Único de Saúde (SUS), onde suas associadas atingiram a volume de 1 milhão de litros de álcool doados até o momento.

 

 

Foto divulgação: Correio do Estado