Barenbrug auxilia como identificar uma semente pirata.

Profissional dá dicas de como o agricultor pode se proteger.

 

 

O uso de sementes piratas vem crescendo no setor agropecuário há anos. Comercializadas de maneira informal e sem certificado de origem ou garantia de validade, prejudicam o agricultor brasileiro, que muitas vezes é enganado pela falsa promessa de investir pouco para colher muito.

 

 

“Hoje em dia as sementes piratas já estão sendo utilizadas em quase 30% das áreas de plantio e a cada dia que passa trazem mais danos para a lavoura. Estima-se que o prejuízo no campo possa chegar a dois bilhões de reais por ano”, explica Diego Pereira, Especialista em Tecnologia de Sementes da Barenbrug.

 

 

Um dos principais problemas encontrados na comercialização de sementes piratas está relacionado em como reconhecê-las.  A Barenbrug do Brasil reforça sua preocupação com o assunto e traz mais informações sobre como se precaver e proteger o cultivo diante deste tipo de semente.

 

 

Como identificar uma semente pirata?

 

 

A maioria das sementes piratas são provenientes de sementes salvas.  A venda e compra destas sementes é feita de forma ilegal pelo produtor, e facilitada pelo valor de venda e pelo fácil acesso. Muitas vezes os produtores não entendem que estão comprando uma semente pirata, mas algumas dicas podem ajudar a sanar esse problema.

 

 

Embalagens 

 

 

Nas embalagens necessitam conter informações obrigatórias como CNPJ, razão social, certificação do produtor e também o RENASEM (Registro Nacional de Sementes e Mudas). Com o número do registro, por exemplo, é possível verificar e rastrear todos os dados do produtor, embalador ou fornecedor das sementes. Além disso, na embalagem deve constar a validade, o número, os valores de germinação ou viabilidade e a pureza do lote. “Ao comprar uma semente em que a embalagem não apresente o que foi descrito acima, ela com certeza é uma semente pirata”, pontua o especialista

 

 

Embalagens violadas 

 

 

Deve-se observar se a embalagem não está violada ou aberta, se contém a semente que está descrita em seu verso e todas as informações corretas. O uso de embalagens reutilizadas também é uma característica comum na comercialização de sementes piratas. 

 

 

Nota Fiscal

 

 

É direito do produtor ter nota fiscal ao comprar as sementes, pois ela garante que ele não está sendo enganado. 

 

 

Mistura de cultivares e impurezas

 

 

As sementes piratas podem vir misturadas com materiais inertes, sementes de plantas daninhas, terra, pedras e outras partículas de solo, enquanto sementes certificadas apresentam valores baixos de impureza. Além disso, a falta de uniformidade e, no caso de algumas espécies, a coloração da semente são outros itens a serem checados, uma vez que sementes de uma mesma cultivar apresentam características uniformes e coloração iguais.

 

 

Vizinhos/Amigos

 

 

É importante evitar comprar sementes de vizinhos ou amigos e, sim, procurar uma revenda de confiança e tirar as dúvidas com um engenheiro agrônomo.

 

 

Valor 

 

 

O barato pode sair caro. Comprar uma semente pirata apenas pelo preço pode prejudicar um ano inteiro de trabalho árduo. Ao perder em qualidade, o agricultor perde em produtividade. Embora o consumo de sementes piratas cresça a cada dia, a venda e a compra de uma semente pirata são crimes.

 

 

“Esse tipo de comercialização pode gerar multa, conforme a legislação vigente, tanto pela lei de proteção de cultivares (nº 9456/1997), como pela lei de sementes e mudas (nº 10.711/2003). Ao comprar uma semente da Barenbrug, o agricultor também estará comprando qualidade e produtividade”, finaliza o especialista.