Ar quente e seco é motivo de alerta no Centro-Oeste do Brasil.

O ar seco ainda vai ser o destaque no Centro-Oeste do Brasil, por causa de uma forte massa de ar seco que predomina na Região.

 

 

Nos últimos dias várias cidades da Região já atingiram índices de emergência, ou seja, valores de umidade relativa abaixo dos 12% nas horas mais quentes da tarde. Segundo a Organização Mundial da Saúde(OMS), o recomendado para a saúde são valores acima dos 60%. Com isso, quase todo o Centro-Oeste segue em alerta para ar muito seco, com valores abaixo do recomendado, que já são considerados prejudiciais à saúde.

 

 

Veja abaixo a classificação das faixas, com seus devidos valores:

 

 

 

 

Nesta segunda-feira, 31 de agosto, a umidade relativa continua em declínio ao longo do dia por toda a Região Centro-Oeste, com valores abaixo dos 30%. Entre a região de BrasíliaGoiâniaCuiabá e Campo Grande, a situação é ainda mais crítica. A previsão é de valores abaixo dos 20%. 

 

 

 

 

Ar seco e os problemas de saúde

 

 

A população da Região já é acostumada, de fato, com esse ar bem seco. No entanto, é importante abordar o assunto, já que muitas pessoas sofrem com esse tipo de problema, principalmente quem já tem algum tipo de problema respiratório crônico.

 

 

Quando a umidade no ar diminui muito, a produção de muco pelas mucosas diminui. Isto deixa o nossocorpo mais frágil, mais suscetível ao ataque dos agentes externos nocivos.

 

 

Quer saber mais sobre os problemas que o ar seco pode provocar na nossa saúde? Clique aqui

 

 

Tendência

 

 

A Região ainda vai conviver com essa secura no ar e com calor intenso ao longo da semana. As temperaturas ainda vão ficar em torno dos 40°C por várias áreas, inclusive em Cuiabá. A capital bateu recorde de calor no último domingo(30) com 41,8°C. 

 

 

Além dos problemas de saúde, a falta de chuva prolongada facilita propagação de incêndios florestais. De acordo com dados do Instituo Nacional de Pesquisas Espaciais(INPE), o estado de Mato Grosso é o que mais registrou focos de incêndio neste ano de 2020, e em segundo lugar o estado de Mato Grosso do Sul. Nesta segunda(31), por exemplo, Cuiabá já amanheceu com bastante fumaça. 

 

 

Focos de incêndio

 

 

 O incêndio que virou assunto nos últimos dias na região da Chapada dos Guimarães, a 65 km de Cuiabá, já prejudicou toda a vegetação, e desde a última sexta-feira o fogo voltou a se espalhar. Os bombeiros trabalham dia e noite tentando controlar a situação, porém o tempo seco só prejudica o trabalho.

 

 

Os focos de incêndio no Pantanal neste ano já chegaram aos 9.745, o que representa um grande crescimento em relação aos últimos anos. E esta é uma situação muito preocupante, pois além da vegetação em si, as chamas também ameaçam a biodiversidade da região.

 

 

Essa situação ainda deve persistir ao longo dos próximos dias. Duas frentes frias avançam nesta semana entre o Sul e o Sudeste, mas no Centro-Oeste o tempo pouco vai mudar. O ar seco e quente ainda vai ser o destaque dos próximos dias.

 

 

Fonte: ClimaTempo