Alta do petróleo e tempo seco no Brasil favorecem preços do açúcar que fecham em alta

 

 

 

 

A alta do petróleo, movimentos cambiais positivos e os impactos de um tempo seco no Brasil favoreceram os preços do açúcar nos mercados internacionais nesta terça-feira (6). Em Nova York, na ICE Future, os contratos futuros no vencimento maio/21, de maior liquidez, subiram 2,2%, negociados em 15,16 centavos de dólar por libra-peso, 32 pontos a mais que os preços na véspera.

 

 

Na semana passada o vencimento maio/21 chegou a bater a mínima de três meses, quando foi negociado em 14,67 cts/lb. O vencimento julho/21 subiu 29 pontos ontem, com negócios em 15,03 cts/lb. As demais telas fecharam valorizadas entre 22 e 26 pontos.

 

 

Segundo a Reuters, “operadores disseram que o mercado foi apoiado por rumores de demanda da China pelo adoçante, embora negócios não tenham sido confirmados”.

 

 

“A Marex Spectron afirmou em relatório que não espera novas importações no curto prazo, com a demanda inicial provavelmente sendo atendida por aqueles que possuem estoques dentro da China”, destacou a Agência Internacional de Notícias.

 

 

Outros analistas de mercado avaliam o impacto que o tempo seco neste período do ano pode trazer no processamento da cana, isso porque, algumas usinas, segundo eles, podem adiar o início da moagem devido ao fraco desenvolvimento vegetativo da cana em algumas regiões, o que poderia afetar a disponibilidade do produto.

 

 

Ontem a Archer Consulting reduziu sua estimativa para a produção de açúcar do Centro-Sul do Brasil para 35 milhões de toneladas.

 

 

Açúcar branco

 

 

Em Londres o açúcar branco também fechou em alta em todos os vencimentos da ICE Europe. A tela para maio/21 foi comercializada em US$ 427,70 a tonelada, valorização de 4,30 dólares no comparativo com a véspera. Já a tela agosto/21 foi comercializada em US$ 425,90 a tonelada, valorização de 7,20 dólares. Os demais contratos subiram entre 5,20 e 6,20 dólares.

 

 

Açúcar cristal

 

 

No mercado doméstico, medido pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP, a saca de 50 quilos do açúcar cristal foi comercializada ontem em R$ 105,66, contra R$ 104,95 da véspera, valorização de 0,68% no comparativo entre os dias.

Etanol Hidratado

 

 

O etanol hidratado, medido pelo Indicador Diário Paulínia, fechou a terça-feira valorizado em 0,70% no comparativo com a segunda. O metro cúbico do biocombustível foi negociado ontem em R$ 2.429,00, contra R$ 2.412,00 da segunda-feira.

 

 

Rogério Mian

Fonte: Agência UDOP de Notícias