Em Bonito (MS), Governo Federal lança Águas do Agro na celebração de 1000 dias de gestão

Em Bonito (MS), Governo Federal lança Águas do Agro na celebração de 1000 dias de gestão

O programa incentiva o produtor rural a adotar práticas de preservação do solo e da água na propriedade

Nesta sexta-feira (1º), o Governo Federal celebrou os 1000 dias de governo, com o lançamento do Programa Nacional Águas do Agro, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O ato ocorreu em Bonito (MS) para marcar a comemoração na Região Centro-oeste. O programa dialoga com os esforços em promover a sustentabilidade nos processos produtivos da agropecuária brasileira, por meio da disseminação de tecnologias fundamentadas em manejos conservacionistas do solo e da água.

Com a adoção do planejamento do uso da terra e de tecnologias integradas com o uso dos recursos naturais, potencializa-se a produtividade e a saúde dos solos.

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento em exercício, Marcos Montes, destacou a importância da participação do produtor rural e dos munícipios na iniciativa. “O programa é para profissionalizar o produtor rural, mas também quem trabalha nas prefeituras”.

A diretora do Departamento de Produção Sustentável e Irrigação do Mapa, Mariane Crespolini, explicou que o programa levará orientações para as propriedades rurais com disponibilidade hídrica crítica, que recebem menos assistência técnica com a maior presença de solos descobertos e erosão acentuada, e municípios que recebem menos assistência técnica e com maior proporção de propriedades com uso de irrigação. 

“Temos cerca de 70 milhões de hectares de pastagens no país. E milhões deles têm algum grau de degradação. Esse é um grande desafio para erosão de solo, mas também uma grande oportunidade. O Brasil pode multiplicar a sua produção de alimentos na mesma área”, afirmou.

Já o secretário de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Mapa, Fernando Camargo, ressaltou que o programa vai combater problemas, como a erosão do solo, além de melhorar a qualidade do solo e da água para a produção rural. “O Águas do Agro mostra que a fixação de carbono no solo é um grande ativo. E os ativos do produtor rural brasileiro são o solo, a água e o sol”.

CPR Verde

Durante o evento em Bonito (MS), foi transmitido o discurso do presidente da República, Jair Bolsonaro, que participava de evento comemorativo dos 1000 dias de gestão em Brasília.

Na cerimônia, no Palácio do Planalto, o presidente assinou o decretoque cria a Cédula de Produto Rural (CPR) Verde. 

Com a cédula, que poderá ser emitida a partir deste mês, o produtor rural será remunerado por serviços ambientais, como preservação de mata nativa em sua propriedade. “É um programa extremamente ousado, que veio para fazer justiça ao produtor rural, que é o grande mantenedor do meio ambiente. O que o agro está fazendo, é com responsabilidade, criando esse ambiente sustentável que todos esperam de nós”, destacou o ministro da Agricultura em exercício, Marcos Montes, em Bonito (MS).

Participaram do evento, ao lado do presidente, os ministros da Economia, Paulo Guedes, e do Meio Ambiente, Joaquim Leite.  

Alimentos para as famílias brasileiras

A sustentabilidade na produção ainda permite que o setor agro mantenha o seu compromisso da segurança alimentar com os brasileiros.

Em parceria com o Ministério da Cidadania, a Conab adquire produtos para a formação das cestas básicas, operacionaliza a montagem e promove a guarda dos estoques, além de auxiliar na logística de distribuição a famílias cadastradas em situação de vulnerabilidade, condição agravada pela pandemia de covid-19.

As entregas alcançam todo o país, com um total previsto de mais de 1,6 milhão de cestas de alimentos, 37 mil toneladas de alimentos, que devem beneficiar 424 mil famílias.

De acordo com o diretor-presidente da Conab, Guilherme Ribeiro, em 2020, foi executado, via Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), um total de R$ 223 milhões para a aquisição de sementes e a compra com doação simultânea. Os valores possibilitaram a comercialização de 77 mil toneladas de alimentos produzidos por 31.213 agricultores familiares, organizados em cooperativas ou associações.

Em Bonito (MS), foi realizada a entrega de alimentos a famílias indígenas e quilombolas, representadas por Indianara Candelário, da etnia Terena, e Amarildo da Silva, do distrito Águas do Rio Miranda.

Retomada do turismo

No evento, ainda foi anunciada importante iniciativa para a retomada do turismo na região. O Sebrae apresentou o Programa de Nomadismo Digital Viva Mais Bonito.

O programa incentiva o turismo de longa permanência de nômades digitais e trabalhadores remotos, preparando o trade local para a experiência desses moradores temporários. Essa metodologia será replicada para outros destinos do país.

A solenidade de 1000 dias de gestão do Governo Federal fez parte da programação de aniversário de Bonito, a ser comemorado no dia 2 de outubro, e contou com a presença do prefeito da cidade, Josmail Rodrigues.

Ainda estiveram o superintendente federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Mato Grosso do Sul, Celso Martins, o secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar de MS, Jayme Verruck; o diretor-superintendente do Sebrae em Mato Grosso do Sul, Cláudio Mendonça; e o presidente da Federação de Agricultura e Pecuária em MS, Marcelo Bertoni.

Fonte: MAPA

Foto Guilherme Martimon

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *